sábado, 20 de maio de 2017

Internacionalização: a velha falsa promessa sempre retorna. É preciso dar um basta nisso!









Foto: fonte desconhecida

Mais uma vez o projeto politiqueiro da elite ribeirão-pretana ressurge na mídia local: a internacionalização do Leite Lopes.


Esse é um projeto esdrúxulo tirado da cabeça de um prefeito tucano em 1999, contrariando o indicativo do Plano Diretor de 1995 de se construir um novo aeroporto internacional fora dos limites urbanos.

Rapidamente a ideia 'pegou' e muitos políticos locais se beneficiaram desse tema, prometendo para a população um mundo de maravilhas com a internacionalização do Leite Lopes.

O problema é que o projeto é uma farsa, não tem viabilidade ambiental, não existe viabilidade urbanística, não existe viabilidade social.

Aliás, no quesito social, essa ideia esdrúxula da elite tupiniquim é uma tragédia. Nesses 20 anos da farsa, de concreto somente a fuga de investimentos e os enormes vazios urbanos ocupados por famílias que lutam por moradia. Pobreza e declínio econômico da região do entorno são os legados da farsa.

Para tentar mostrar serviço, o poder público buscou mudar a lei de uso e ocupação do solo para expulsar as pessoas, retirando-as a força do caminho da 'internacionalização'.

Quantas famílias sofreram violência no perímetro do aeroporto? Quantos crimes contra os direitos humanos foram cometidos? Quantas mini 'favelas da família' ocorreram sem que ninguém tomasse conhecimento?

E quando se acha que o assunto morreu, eis que a mídia abre espaço para o deputado Baleia Rossi, PMDB, tentar se mostrar pró ativo para a 'internacionalização': promessa de 80 milhões vindos do governo Temer, ao qual Baleia pertence.

80 milhões não serve para internacionalizar coisa nenhuma, só para maquiagem. Enquanto isso, segue o enorme drama social da região!

É preciso dar um basta nisso!

É claro que Ribeirão Preto e região necessitam de um aeroporto internacional de grande porte, mas não no Leite Lopes, não sobre a cabeça de trabalhadores!

É momento de novas lideranças populares romperem com esse discurso farsesco, provinciano e politiqueiro e construírem um outro rumo para a questão do aeroporto e da região do entorno do Leite Lopes.

Constituímos uma região metropolitana, somos parte de uma macro região que integra São Carlos e Araraquara.

Estudos técnicos apresentados no ano passado em uma reunião realizada no Jardim Aeroporto, reunindo mais de 100 pessoas e diversos técnicos e lideranças, mostram a possibilidade real de se construir um aeroporto de grande porte em uma área não urbana e que sirva à essa macro região.

Chega de farsa, chega de enganação! Já são 20 anos!

Vamos procurar resolver de fato esse problema e, ao mesmo tempo, resolver também a questão econômica e social da região do aeroporto Leite Lopes. Com projetos de economia solidária, com a vinda de uma escola técnica federal, com investimentos sociais, com programas de moradias populares e regularização fundiária, com a criação de uma área de interesse social no Plano Diretor.

O entorno do Leite Lopes tem hoje mais de 20 núcleos de favelas e muitos problemas de falta de estrutura em saúde, educação, transporte, segurança, lazer, cultura para toda a população trabalhadora dos bairros da região. Essa população não precisa mais conviver com farsas.

Quanto aos 80 milhões de Baleia, viraram pó junto com o governo Temer, nos áudios da JBS.

Ricardo Jimenez




Um comentário:

  1. Perfeita análise. Há interesses comerciais explícitos naqueles políticos defensores do Leite Lopes. Modernidade é: Aeroporto Internacional fora dos limites habitacionais do município.

    ResponderExcluir