sábado, 17 de fevereiro de 2018

Vicente Golfeto e a defesa da ditadura neoliberal!

O Chile de Pinochet
o exemplo de 'livre mercado'

"Teoria Econômica" é o título da coluna do economista, comentarista político e ex-vereador Vicente Golfeto no jornal A cidade deste sábado (17/02/2018).

Na esteira da intervenção militar promovida pelo desgoverno sem voto de Temer no Rio de Janeiro, Golfeto resolveu tratar do tema sob o ponto de vista da economia.

Entrevista com Judeti Zilli, Presidenta do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de RP!


Nada a perder

Fiéis em ação de marketing no Shopping Santa Úrsula.
Foto: Fabio.Sardinha


Por Fabio Sardinha

Estava, por acaso, no shopping Santa Úrsula, em Ribeirão Preto, e vi uma fila imensa no cinema, pensei que era para assistir o Filme Pantera Negra, mas perguntando a quem estava na fila, descobri que era para assistir outro filme: do líder da igreja universal, Edir Macedo, chamado "Nada a Perder".

Intervenção em Temer, já! Governo golpista fracassado ameaça o país!


A única coisa que merece uma intervenção no Brasil, popular e não militar, é o desgoverno Temer!

O golpe é um estrondoso fracasso e ameaça levar para o abismo a democracia, a economia e o futuro do povo brasileiro.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Alguns dados e pontos para refletirmos sobre a intervenção militar no Rio. Por Leonardo Sacramento


Foto Tribuna do Norte

1- Primeiro, os Estados, inclusive o Rio de Janeiro, estão recebendo de forma descontínua os repasses da União. Rio de Janeiro teve uma queda abrupta de orçamento justamente em 2017. Culpa: Teto dos Gastos. Lembra? Primeira medida do governo Temer. Não, não foi só corrupção. Aliás, longe disso. Por mais que a corrupção seja odiosa, o roubado pelo PMDB (partido de Temer) está longe de retirar de forma significativa parte do orçamento estadual. Então temos um efeito perverso da PEC do Teto dos Gastos, o que indica que, talvez, a intervenção se torne mais corriqueira, pois sem orçamento a crise social é certa.

Intervenção militar no Rio é uma ameaça para a democracia e para os mais pobres!



Muito importante esse movimento do governo Temer, de intervir na Segurança Pública do Rio de Janeiro. Na prática, é uma intervenção militar.  A crise política assume assim novos contornos.
Por partes…
1) A intervenção federal, por lei, impede que nesse período seja votada qualquer alteração na Constituição. Com isso, Temer assume derrota na Previdência, que não poderá mais ser votada. Mas já oferece outra cenoura na frente do burro para o mercado e a direita: o discurso da ordem.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Institutos de PT, PSOL, PCdoB, PSB e PDT se unem em torno de um projeto de país!


O Presidente Lula deu o caminho: "A esquerda não vai se unir em torno de uma candidatura, vai se unir em torno de um projeto". E nós ampliamos essa unidade para o campo progressista e democrático do Brasil.

Denunciar o golpe, se articular em torno de uma agenda comum e de fácil compreensão e engajamento popular, propor um projeto anti-neoliberal, desenvolvimentista e de inclusão social.

Essa é a tarefa que os centros de pesquisa e formulação política Perseu Abramo (PT), Maurício Grabois (PCdoB), Leonel Brizola-Alberto Pascoalini (PDT), Lauro Campos (PSOL) e João Mangabeira (PSB) assumem.

Os sites reacionários de direita já acusaram o golpe.

Grande notícia!

Blog O Calçadão

O povo tem de dar o recado: Não mexam na aposentadoria!


O desgoverno Temer e seus aliados tucanos não têm moral
para mexer na Previdência e tirar a aposentadoria
do Trabalhador

Deputados: se votar, não volta!


Aumentou a adesão às paralisações contra a "reforma" da Previdência, que serão realizadas na segunda-feira (19) por várias centrais sindicais em todo o país. De acordo com a CUT, após diversas assembleias, mais atos foram marcados pelo país. A proposta do governo deve ser votada no dia 19, 20 ou 21 na Câmara dos Deputados. A base aliada precisa garantir 308 votos para aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287. “Não votaram até agora porque não têm votos. Os deputados estão com medo de aprovar essa proposta nefasta e não serem reeleitos”, diz o presidente da central, Vagner Freitas.