sexta-feira, 30 de junho de 2017

30 de junho, dia nacional de luta contra as reformas! Ribeirão Preto, presente!

Fotos Filipe Peres
Neste dia 30 de junho, o Brasil voltou a se mobilizar em um movimento nacional de greve geral contra as reformas trabalhista e previdenciária, pelo Fora, Temer e pelas Diretas, já!

MST e FBP ocupam fazenda de Wagner Rossi, em Ribeirão Preto-SP, e denunciam corrupção!


MST/Ribeirão Preto em ato contra a corrupção na fazenda de Wagner Rossi
Fotos: Filipe Peres

Por MST/Ribeirão Preto

Depois de paralisarem a rodovia Anhanguera por cerca de 40 minutos, como parte das atividades da Greve Geral, que ocorre em todo o país, cerca de 150 trabalhadores e trabalhadoras do MST e da Frente Brasil Popular ocuparam na manhã de hoje, 30, uma fazenda de Wagner Rossi, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, para denunciar seu enriquecimento ilícito e a forma como políticos corruptos agem, dilapidando o Estado e favorecendo as empresas.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

E se na campanha Nogueira dissesse que para trazer o AME ele fecharia o PS central?

Foto: Tribuna

Durante a campanha, o atual Prefeito e seu principal adversário disputaram para saber quem tinha a 'melhor' proposta para resolver o deficitário e caótico sistema de saúde pública de Ribeirão Preto.

O segundo propôs realizar exames utilizando uma sobra ociosa possivelmente existente nas clínicas particulares, através de convênios, com consultas marcadas por telefone.

O primeiro prometeu 3 AME's (Ambulatórios Médicos de Especialidades), vindos sob parceria com o governo do Estado. Ou seja, o atual Prefeito prometeu expandir o sistema de saúde da cidade!

PSDB e DEM são os pilares de sustentação de Temer!

Responda com sinceridade: se as denúncias e as gravações que pegaram Temer tivessem sido com Dilma ou com Lula, o que estaria acontecendo no Brasil?

PSDB e DEM estariam colocando fogo no país e, certamente, os 'movimentos' financiados por eles estariam ocupando a avenida Paulista ou a orla de Copacabana com transmissão ao vivo da Globo.

Qual o impacto da absolvição de Vaccari? Moro sai derrotado?


Pela primeira vez uma decisão de Moro é derrubada em uma instância superior e com uma justificativa importante: condenação sem provas, sustentada apenas em depoimentos de 'delatores'.

Foi uma decisão justa a favor de um homem cuja condenação se deu simplesmente pelo fato de ser petista em um momento de perseguição política ao PT.

Mas a absolvição de Vaccari atinge o centro de existência da Lava Jato curitibana e a possibilidade de desdobramento é clara, incluindo o caso Lula.

É seletiva e com relógio político preciso!


Quem Moro protege ao não aceitar delação de Palocci? Para quem ele quer mostrar serviço?



Chamou mais a atenção do país a negativa do juiz Sérgio Moro à delação do ex-ministro Antonio Palocci do que a condenação, propriamente dita, a 12 anos de prisão por corrupção envolvendo a Odebrecht.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Eunício, um dos chegados de Temer, quer aprovar a reforma trabalhista à força! Não!


Eunício declarou que, independente da crise, o Senado vai "tocar a pauta de votações" e que após a votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, o projeto da Reforma Trabalhista será encaminhado ao plenário em regime de urgência. A votação da Reforma Trabalhista na CCJ está prevista para a próxima quarta-feira (28).

É o conluio golpista tentando tocar a pauta do 'mercado' fazendo ouvidos de mercador para a vontade do povo!

Não! Não tem votação de reforma com governo ilegítimo e denunciado por corrupção!

A resposta virá das ruas. senhor Eunício!

Blog O Calçadão

A hora é agora! Povo na rua para reconstruir a democracia!


O golpe está definitivamente desmascarado, dentro e fora do Brasil.

Como muito bem disse a legítima Presidente do país, Dilma Roussef: " o golpe colocou o Brasil nas mãos de um (corrupto) denunciado".

Pior, o golpe colocou o Brasil nas mãos de um conluio incompetente e incapaz de gerir a economia do país.

MST/Ribeirão Preto realiza o I Encontro das Dandaras



O I Encontro das Dandaras aconteceu no Acampamento Paulo Botelho, em Ribeirão Preto/SP
Fotos: Filipe Peres


Inspirado no nome de Dandara dos Palmares, liderança feminina negra que lutou contra o regime escravocrata do século XIX, aconteceu no último domingo, 25 de junho, no Acampamento Paulo Botelho, o I Encontro das Dandaras.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Partipantes do Curso de Formador de Formadores Latino-Americanos visitam a região de Ribeirão Preto

Participantes do Curso de Formador de Formadores Latino-Americanos confraternizam 
após o almoço no Acampamento Paulo Botelho, do MST/Ribeirão Preto.

Fotos: Filipe Peres


Contando com a participação de 34 organizações de 17 países, o Curso de Formador de Formadores Latino-Americanos da Escola Nacional Florestan Fernandes, do MST visitou a região de Ribeirão Preto/SP para unificar a teoria à prática. Na região, os participantes puderam conhecer os trabalhos de agro-floresta do Assentamento Mário Lago, além de conhecerem os Acampamentos Alexandra Kollontai, em Serrana, e o Acampamento Paulo Botelho, em Ribeirão Preto.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

A votação de terça-feira se confirma e, em segunda sessão, servidores perdem direitos

Ao contrário de terça-feira, servidores municipais compareceram em bom número na sessão de quinta-feira.
Fotos: Filipe Peres


Em sessão tumultuada e cheia, os vereadores confirmaram o voto dado na última terça-feira (clique aqui para saber tudo o que aconteceu na sessão de 20/06) e, em segunda sessão, aprovaram as PLCS 31/17, 32/17 e 33/17, retirando direitos dos servidores municipais, diretamente atingidos pelas mudanças nos PLCs 31 e 33.  Entretanto, como já fora votado na sessão anterior, a emenda de Luciano Mega (PDT) e a mudança de artigo de Marcos Papa e Boni (REDE) garantem o direito adquirido do servidor já concursado. Isto se o prefeito não vetar a emenda aditiva de Mega e o artigo dos vereadores da REDE.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Câmara aprova PLCs que retiram direitos dos servidores públicos - 1a Discussão.

Ao fundo, placar da votação do PLC 31/17 que revogou direito dos servidores
Fotos: Filipe Peres

A Câmara dos vereadores aprovou na noite de terça-feira por 18 votos a 08 o Projeto de Lei Complementar, número 31/17 - Primeira Discussão - que revoga a lei que autoriza a contagem de tempo de serviço prestado à união, estados, municípios e às autarquias, para fins de adicional de tempo de serviço. Em pratos limpos, fruto de um acordo coletivo em 2016, este PLC permitia que os funcionários públicos federais, estaduais e municipais pudessem trazer o seu tempo de serviço para efeito de quinquênios, sexta parte e aposentadoria. 

terça-feira, 20 de junho de 2017

População protesta contra o fechamento do PS Central

Foto e Matéria: Caio Cristiano

Esta noite, com apoio de sindicatos,  a população de Ribeirão Preto protestou contra o fechamento do PS Central. A saída do posto daquela região excluirá mais a já tão excluída população de Ribeirão.
Presente nada lindo do poder executivo ao seu povo.

Ribeirão 161 anos: o Presidente da ACIRP e as platitudes do Prefeito!


No dia de ontem, o jornal Tribuna abriu espaço para dois artigos interessantes, cada um ao seu modo.

Um do Prefeito Duarte Nogueira. Outro do Presidente da ACIRP, Dorival Balbino.

O artigo do Prefeito chama a atenção pela falta de conteúdo e pelas platitudes clássicas das datas comemorativas, quando se escreve e não se diz nada.

Servidores: Todos à Câmara Municipal, hoje!


Houve uma reunião, na última terça-feira, para alertar os vereadores sobre os PLCs.
Foto: Filipe Peres


Servidores de todo o país não aceitam esta política de austeridade. Hoje, em Curitiba, a PM reprimiu violentamente os servidores que invadiram a Câmara para protestar contra o prefeito Rafael Greca (PMN) que quer incorporar R$600 milhões do fundo de previdência ao caixa da prefeitura.

Não é o nosso caso aqui. Ainda não chegamos a tanto. Entretanto, as PLCs 31, 32 e 33, o fechamento do PS Central já são duas realidades. Além disso, ronda-nos os fantasmas de que se está buscando a inconstitucionalidade do Prêmio Incentivo e a possibilidade de um PDV municipal.

A Esquerda mundial e o caminho da contestação, do otimismo, da esperança, da inclusão e da juventude!


O capitalismo da atualidade tem imposto à humanidade uma brutal desigualdade social. Hoje, o 1% mais rico detém metade da riqueza mundial e a concentração de renda continua a crescer.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Ribeirão Preto, 161 anos! O blog O Calçadão te saúda!


Nós do blog O Calçadão nos sentimos felizes e orgulhosos de participarmos, ao longo desses quase três anos, um pouquinho da história de Ribeirão Preto.

A história da nossa cidade é a história do seu povo, da sua gente.

Todos nós lutamos para que a Ribeirão Preto do futuro seja uma cidade democrática, progressista e inclusiva.

Lutamos para que seus mais de 600 mil habitantes tenham igualdade de oportunidades, acesso à educação, à saúde, ao lazer, à cultura, ao emprego, à mobilidade urbana e à participação política.

Lutamos para que Ribeirão Preto abra seus braços para a juventude e acolha seus velhos.

O blog O Calçadão é um instrumento de informação ribeirão-pretano e queremos ser cada vez mais ligados às pessoas e às lutas populares dessa cidade.

Parabéns Ribeirão Preto!

Equipe Blog O Calçadão: Ricardo Jimenez, Filipe Peres, Paulo Honório, Aílson Vasconcelos, Rilton Nogueira, Fabio Soma, Marcos Sérgio, Cassiano Figueiredo, Gabrielle Van Pelt.

domingo, 18 de junho de 2017

Um governo golpista e sem moral não pode retirar direitos do povo! Nada de reformas, eleições gerais, já!


Está na hora de voltar a esquentar as ruas contra a tentativa do golpismo em avançar com as reformas trabalhista e previdenciária que retiram direitos da população trabalhadora brasileira.

Juventude Negra debate racismo, golpe e contexto político! Assista!

Da direita para a esquerda: Jhon William, Lais de Queirós, Iatundê Monteiro e Marcelo Domingos.
Foto: Filipe Peres

 Neste sábado, Jhon William, Láis de Queiroz, Iatundê Monteiro e Marcelo Domingos debateram temas como racismo, golpe e contexto político no país.  Caso tenha perdido a live, acompanhe pelo blogue.

sábado, 17 de junho de 2017

"Unidade popular para derrubar Temer e barrar as reformas", Raimundo Bonfim


“O dia 20 é importante como mais um dia de mobilização. Apesar do total desgaste do governo, do envolvimento em corrupção e na iminência do oferecimento da denúncia pela Procuradoria-Geral da República, o governo continua com a pauta das reformas na Câmara e no Senado”, diz Raimundo Bonfim, coordenador da Frente Brasil Popular e Central de Movimentos Populares (CMP). “É importante a população se manter mobilizada. Além da luta contra as reformas, o ‘fora, Temer’ e Diretas Já também são bandeiras da mobilização. Uma coisa está associada à outra: precisa derrubar o Temer para travar as reformas.”

Desgoverno Temer coloca o Brasil de joelhos aos interesses dos EUA!


Toda a América Latina está em alerta com a mudança de posição dos EUA com relação à região.

Além de romper unilateralmente o acordo firmado por Obama com Cuba, a Casa Branca recoloca abertamente a doutrina de intervir militarmente na região para garantir a 'liberdade'.

Entre Janaína e FHC: o dilema do PSDB!


Todos os três são golpistas: Janaína, FHC e o PSDB.

Nascido para ser, teoricamente, o partido social-democrata brasileiro, ou seja, um partido de cunho progressista cuja pauta era harmonizar uma economia de mercado com valores sociais universais, o PSDB rapidamente se transformou no maior e mais orgânico defensor das bandeiras neoliberais e das pautas dos mais ricos, da Casa Grande.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Compulsão

Foto: Filipe Peres


Já na República Velha
a oligarquia decretou que
problema social
como sujeira a ser varrida
corpo a ser expurgado
se resolve com polícia.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

78 Estudantes de Ribeirão Preto presentes no 55o Congresso da UNE!


78 estudantes universitários de Ribeirão Preto se juntam aos outros cerca de 10 mil, dos 26 estados e do Distrito Federa, para participar até domingo (18), em Belo Horizonte, do 55º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE). 

As Crianças de Izieu


Klaus Barbi




No próximo dia três de julho, serão trinta anos passados da condenação à pena perpétua de Nikolaus (Klaus) Barbi, o açougueiro de Lyon. O julgamento parou a cidade. Na verdade, parou toda a França, que não se emocionava tanto com tribunais desde o caso Dreyfus, um século antes.
Klaus, comandante da Gestapo na cidade francesa entre 1942 e 1944, transferiu para Auschwitz 44 crianças judias, ao abandonar a cidade prestes ao já iminente desembarque  das tropas aliadas. 

Power Point do golpe: MPF e Moro caminham para condenar Lula sem provas!

Do site Justificando

Nenhuma prova e muita convicção. Assim podem ser resumidas as alegações finais de Deltan Dallagnol entregues no início do mês ao juiz Sérgio Moro. Apesar de não ter presenciado nenhum dos depoimentos, bem como ter faltado ao interrogatório do ex-presidente Lula, o Procurador, cuja atuação pública tem sido voltada para elaboração de posts em Facebook, peças de Power Points e empreitadas legislativas, pediu a condenação em regime fechado e ao pagamento de multa de mais de 87 milhões de reais. Leia na íntegra as alegações finais.

Calma, Gleisi. A mídia hegemônica não pode mais ditar as regras!


Este blog esperou uns dias para comentar o caso da 'bolinha de papel' de Miriam Leitão.

A jornalista da globo criou um auê ao 'denunciar' que teria sido agredida em um voo por 'militantes petistas".

Foi uma tentativa de recriar, via mídia, um clima até recentemente em voga no país: o ódio ao PT.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Servidores conversam com vereadores sobre PLCs que tiram direitos!

Servidores se reuniram com os vereadores Luciano Mega e Orlando Pesoti, do PDT
Fotos: Filipe Peres
Os servidores municipais de Ribeirão Preto, entre eles Caio Cristiano (Conlutas), Professor Sandrão (PSOL) e Alex Ramos Neves conversaram no fim da tarde de terça-feira com os vereadores Luciano Mega e Orlando Pesoti, ambos do PDT, sobre as PLCs 31, 32 e 33.  A intenção era aclarar aos vereadores os pontos de dúvida, explicar o que são essas PLCs e os estragos que elas trarão aos funcionários públicos.

Construir mais uma grande greve geral. Dia 30!!

CONSTRUIR OUTRA GRANDE GREVE GERAL CONTRA AS REFORMAS E POR ELEIÇÕES DIRETAS JÁ!
Na última grande greve realizada em 28 de abril, 40 milhões no Brasil - em Ribeirão Preto mais de 10 mil de trabalhadores e trabalhadoras - mostraram que estão resistindo ativamente à retirada de direitos feita pelo desgoverno do golpista Michel Temer.
Mas apesar da ampla e intensa mobilização de diversos setores da sociedade contra as reformas da previdência e trabalhista, Temer, o PSDB e seus aliados não querem escutar o recado que vem das ruas por nenhum direito a menos.
Além disso, as últimas denúncias que envolvem a maioria do Congresso e o próprio presidente agravaram a crise política, econômica e institucional, demonstrando que estes verdadeiros inimigos do povo não têm condições nem credibilidade para prosseguir a tramitação dessas medidas que terão forte e duradouro impacto na vida de milhões de brasileiros.
É por isso que a próxima greve, convocada pelas centrais sindicais para o dia 30 de junho, deve ser ainda maior. A Frente Brasil Popular juntamente com o Comitê de Ribeirão Preto em Defesa dos Direitos e das Diretas-Já contribuirão com a paralisação dos trabalhadores e trabalhadoras em todo o Brasil, exigindo a retirada das reformas da pauta do Congresso e a convocação de eleições diretas.
Neste sentido, estaremos mobilizados também no dia 20 de junho para preparar mais uma grande demonstração de força da classe trabalhadora brasileira com uma nova greve geral.
Convocamos todos e todas para irmos às ruas realizar panfletagens, atividades e atos para alertar o povo brasileiro sobre os riscos da aprovação das reformas, a necessidade de eleições diretas e a importância da mobilização.
Reunião Organizativa Mobilização Greve Geral
Dia: 14 de junho
Horário: 19h
Local: Sindicato dos Comerciários – rua Marquês de Pombal, 506 – Campos Elíseos – Ribeirão Preto

AzMina precisa de você: Bolsas de reportagens AzMina 2017

Dica enviada por uma amiga do blogue.
AzMina precisa de você. Vamos divulgar:



Saiba mais clicando no link: http://juntos.com.vc/pt/azminareportagens

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Dia dos namorados: Campanha da SPM


Neste dia dos namorados, nada melhor do que a Campanha da SPM sobre quando não é amor, pois mais importante que presente é o respeito.




domingo, 11 de junho de 2017

A bagunça toda foram eles que fizeram! Grave-Geral dia 30!


Dizem os mais estrategistas que tudo começou quando Lula nacionalizou o pré sal e colocou nas mãos da Petrobrás todo o planejamento e execução da exploração dos cerca de 200 bilhões de barris nas jazidas offshore.

sábado, 10 de junho de 2017

A Feira do Livro não tinha mais povo, agora não tem mais livros!

Foto Filipe Peres

Pode ser que a enorme crise econômica que o país atravessa tenha também impactado a Feira do Livro de Ribeirão Preto neste 2017. Pode ser. Mas o fato é que o espaço da Feira dedicado aos livros diminuiu muito e nesta edição ocupa apenas 30% da praça XV de Novembro.

Especial 100 anos da Revolução Russa: China, Cuba, Vietnan e o Socialismo de Mercado!


Colocar o dedo na ferida: com essa expressão, o geógrafo Elias Jabbour, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), provocou a plateia presente no quarto encontro do seminário que debate os 100 anos da Revolução Russa, em Porto Alegre, a refletirem sobre a atualidade do projeto socialista no mundo.

Câmara debate o Aquífero Guarani e o Plano Diretor nesta quarta, 21. Convocação geral!

O movimento Salve o Aquífero está convocando a todos para a audiência pública sobre a questão da proteção da área de recarga do Aquífero Guarani que ocorrerá nesta quarta, 21, na Câmara de Vereadores de Ribeirão Preto.

Precisamos (re)pensar tudo! Por Cassiano Figueiredo



Está circulando um vídeo de um tatuador fazendo uma tatuagem na testa de um homem que tentou assaltar sua casa, ou estúdio. 

Isso é terrível!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Nogueira quer fechar PS Central para economizar recursos. Em 2013, São Carlos também trocou um PS por um AME!

Foto: A Cidade On

Em 2013, sob administração tucana, São Carlos também trocou um PS por um AME. O PS funcionava em uma ala do Hospital Escola da UFscar. Assim, a Prefeitura economiza tanto no custeio do equipamento público quanto no pagamento de plantões e horas-extras aos profissionais. 

A lógica é a mesma para Ribeirão Preto: economizar recursos.

Em parceria com governo estadual, MST vai alfabetizar 20 mil no Maranhão, com método cubano!

Foto: Governo do Maranhão

Do Brasil de Fato

Objetivo do governo Dino é chegar às 30 cidades maranhenses mais empobrecidas; militantes de 11 estados atuam no projeto!

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), em parceria com o governo do Maranhão, comandado por Flávio Dino (PCdoB), iniciou, nesta semana, a segunda etapa de aplicação do programa de alfabetização cubano "Yo Sí Puedo" ou "Sim, Eu Posso", na versão brasileira. O objetivo é ensinar 20 mil pessoas, de 15 municípios, a ler e escrever.

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Nogueira quer retirar mais direitos do professor

Vereadores trancaram a pauta por duas sessões para examinar o projeto
Fotos: Filipe Peres


Após proporcionar a maior greve da história de Ribeirão Preto, retirar os 28%, "analisar" a constitucionalidade do Prêmio Incentivo, o governo Nogueira traz mais uma inovação educacional: quer retirar o acúmulo de tempo de serviço para fim de evolução salarial para quem tiver vindo de outra rede.

Governo tucano retira 6,5 bilhões da educação só em 2016! Já são 23 anos de tucanato em SP!


Rodrigo Janot, Procurador-geral da República, protocolou nesta terça-feira (06), no Supremo Tribunal Federal (STF), uma ação judicial contra o Governo do Estado de São Paulo pela retirada de R$ 6,5 bilhões, somente em 2016, de recursos da educação paulista para cobrir parte dos rombos financeiros do SPPrev, gerenciado também pela equipe de Alckmin.

terça-feira, 6 de junho de 2017

O Calçadão Comunidades esteve na Margarida Alves, nas Sete Curvas: exemplos de luta!


Boaventura de Sousa Santos: "Democracia se reconquista nas ruas!


“Será preciso defender a democracia brasileira com luta nas ruas”, diz Boaventura de Sousa Santos



Boaventura de Sousa Santos: “As instituições têm que ser pressionadas a partir da rua. Queremos que isso se dê dentro dos marcos democráticos, que já estão muito abalados pelo golpe”. (Foto: Guilherme Santos/Sul21)

Marco Weissheimer
O que está acontecendo no Brasil hoje, a partir do golpe parlamentar contra a presidenta Dilma Rousseff é o caso paradigmático de uma intervenção externa, motivada principalmente pelo fato de que o país era uma das forças importantes dos Brics, em aliança com China e Rússia, que tentavam construir uma articulação alternativa ao capitalismo global sob dominação dos Estados Unidos. A avaliação é do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos que esteve em Porto Alegre, semana passada, participando de um debate sobre a crise da democracia, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul.

Murar o medo - por Mia Couto

Mia Couto, escritor moçambicano nascido em Beira, em 1955, tem exercitado, na lapidação da palavra, a arte de reencantar o mundo


O medo foi um dos meus 
primeiros mestres. Antes de ganhar confiança em celestiais criaturas aprendi a temer monstros, fantasmas e demônios. Os anjos quando chegaram já era pra me guardarem. Os anjos atuavam como uma espécie de agentes de segurança privada das almas. Nem sempre os que me protegiam sabiam da diferença entre sentimento e realidade. Isso acontecia, por exemplo, quando me ensinavam carcear os desconhecidos. Na realidade a maior parte da violência contra as crianças sempre foi praticada não por estranhos, mas por parentes e conhecidos. Os fantasmas que serviam na minha infância reproduziam esse velho engano de que estamos mais seguros em ambientes que reconhecemos. Os meus anjos da guarda tinham a ingenuidade de acreditar que eu estaria mais protegido apenas por não aventurar para além da fronteira da minha língua, da minha cultura e do meu território. O medo foi, afinal, o mestre que mais me fez desaprender. Quando deixei minha casa natal, uma invisível mão roubava minha coragem de viver e a audácia de ser eu mesmo. No horizonte vislumbravam-se mais muros do que estradas. Nessa altura algo me sugeria o seguinte: que há neste mundo mais medo de coisas más do que coisas más propriamente ditas.

No Moçambique colonial em que nasci e cresci, a narrativa do medo tinha uma invejável casting internacional. Os chineses que comiam crianças. Os chamados turistas que lutavam pela independência. E um ateu barbudo com anômalo mal. Esses fantasmas tiveram o fim de todos fantasmas: morreram quando morreu o medo. Os chineses abriram um restaurante à nossa porta. Os ditos turistas são hoje governantes respeitáveis. E Karl Marx, o ateu barbudo, é um simpático avô que não deixou descendência.

O preço dessa construção do terror foi, no entanto, trágico para o continente africano. Em nome da luta contra o comunismo cometeram-se as mais invisíveis barbaridades. Em nome da segurança mundial foram colocados e conservados no poder alguns dos ditadores mais sanguinários de toda a história. A mais grave desta longa herança de intervenção externa é a facilidade com que as elites africanas continuam a culpar os outros pelos seus próprios fracassos.

A guerra fria esfriou mas o maniqueísmo que esses tinham não desarmou, inventando rapidamente outras geografias do medo ao oriente e ao ocidente. E por que se trata de entidades demoníacas, não bastam escolar os meios de governação. Precisamos de intervenção com legitimidade divina. O que era ideologia passou a ser crença. O que era política tornou-se religião. O que era religião passou a ser estratégia de poder. Pra fabricar armas é preciso fabricar inimigos. Pra produzir inimigos é imperioso sustentar fantasmas. A manutenção desse alvoroço requer um dispendioso aparato e um batalhão de especialistas que em segredo tomam decisões em nosso nome. Eis o que nos dizem: pra superarmos as ameaças domésticas precisamos de mais policia, mais prisões, mais segurança privada e menos privacidade. Para enfrentarmos as ameaças globais precisamos de mais exércitos, mais serviços secretos e a suspensão temporária da nossa cidadania.

Todos sabemos que o caminho verdadeiro tem que ser outro. Todos sabemos que esse outro caminho poderia começar, por exemplo, pelo desejo de conhecermos melhor esses que de um e de outro lado aprendemos a chamar de "eles". Aos adversários políticos e militares juntam-se agora o clima, a demografia e as epidemias. O sentimento que se criou é o seguinte: a realidade é perigosa, a natureza é traiçoeira e a humanidade é imprevisível. Vivemos como cidadãos e como espécie em permanente situação de emergência. Como em qualquer outro estado de sítio, as liberdades individuais devem ser contidas, a privacidade pode ser invadida, e a racionalidade deve ser suspensa. 

Todas essas restrições servem pra que não sejam feitas perguntas, como por exemplo estas: Por que motivo a crise financeira não atingiu a industria do armamento? Por que motivo se gastou, apenas no ano passado, um trilhão e meio de dólares em armamento militar? Por que razão os que hoje tentam proteger os civis na Líbia são exatamente os que mais armas venderam ao regime do coronel Kadafi? Por que motivo se realizam mais seminários sobre segurança do que sobre justiça?

Se queremos resolver e não apenas discutir a segurança mundial, teremos que enfrentar ameaças bem reais e urgentes. Há uma arma de destruição massiva que está sendo usada todos os dias em todo o mundo sem que seja preciso o pretexto da guerra. Essa arma chama-se fome. Em pleno século 21, um em cada seis seres humanos passa fome. O custo para superar a fome mundial seria uma fração muito pequena do que se gasta em armamento. A fome será, sem dúvida, a maior causa de insegurança do nosso tempo.

Mencionarei ainda uma outra silenciada violência. Em todo mundo uma em cada três mulheres foi ou será vítima de violência física ou sexual durante o seu tempo de vida. É verdade que sob uma grande parte de nosso planeta pesa uma condenação antecipada pelo fato simples de serem mulheres. A nossa indignação por aí é bem menor que o medo. Sem darmos conta fomos convertidos em soldados de um exército sem nome e como militar sem farda deixamos de questionar. Deixamos de fazer perguntas e discutir razões. As questões de ética são esquecidas por que está provada a barbaridade dos outros e por que estamos em guerra não temos que fazer prova de coerência, nem de ética, nem de legalidade.

É sintomática e única construção humana que pode ser vista do espaço seja uma muralha. A grande muralha foi erguida para proteger a China das guerras e das invasões. A muralha não evitou conflitos nem parou os invasores. Possivelmente morreram mais chineses construindo a muralha do que vítimas das invasões que realmente aconteceram. 

Diz-se que alguns dos trabalhadores que morreram foram emparedados na sua própria construção. Esses corpos, convertidos em muro e pedra, são uma metáfora de quanto o medo nos pode aprisionar. Há muros que separam nações, há muros que dividem pobres e ricos, mas não há hoje no mundo muro que separa os que têm medo, dos que não tem medo. Sob as mesmas nuvens cinzentas vivemos todos nós. Do sul e do norte, do ocidente e do oriente.

Citarei Eduardo Galeano acerca disto que é o medo global, e diz ele: "os que trabalham têm medo de perder o trabalho; os que não trabalham têm medo de nunca encontrar trabalho; quando não têm medo da fome têm medo da comida; os civis têm medo dos militares; os militares têm medo da falta de armas e as armas têm medo da falta de guerras e, se calhar, acrescento agora eu, há quem tenha medo que o medo acabe."

video

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Vivi na pele o que aprendi nos livros

Fernando Haddad

Piauí _129 JUNHO 2017

Eu já havia trabalhado com Dilma Rousseff por um ano, ao longo da transição do Ministério da Educação para Aloizio Mercadante. Conhecia seu estilo tanto como ministra-chefe da Casa Civil quanto como presidenta da República. E, ao contrário do que se diz dela, que é “democrática” no tratamento duro que dedica aos subordinados, eu diria até que sempre me tratou com consideração. Em dezembro de 2012, ainda antes de minha posse no Edifício Matarazzo, fui a Brasília para aquela que seria a nossa primeira audiência de trabalho após minha eleição como prefeito de São Paulo.
Em um contato rápido que havíamos tido na manhã seguinte ao segundo turno, eu já havia insinuado à presidenta que entendia que o governo federal deveria tratar São Paulo de maneira singular, em função de sua importância. Ela então me olhou com um sorriso irônico, como quem diz “Não me venha querer levar vantagem”. Pensando em retrospecto, creio que a relação de Dilma com São Paulo nunca se resolveu completamente.
Dilma me recebeu em seu gabinete no 3º andar do Palácio do Planalto, ao lado dos ministros Guido Mantega, da Fazenda, e Miriam Belchior, do Planejamento, Orçamento e Gestão. Comigo estava o secretário de Finanças Marcos Cruz, que o empresário Jorge Gerdau havia me apresentado e que deixara a consultoria McKinsey para organizar as contas da prefeitura.
As reuniões com Dilma têm sempre uma carga elétrica no ar. O ambiente nunca é relaxado, e aquele dia foi se tornando mais tenso à medida que o debate transcorria. Minha expectativa era realizar um primeiro encontro com ministérios estratégicos para definir o que Brasília poderia fazer para mudar a cara de São Paulo. Mas o que ouvi foi a demanda exatamente oposta: o que São Paulo faria para ajudar o governo federal? Sem muitos preâmbulos, a audiência passou direto a uma questão bastante específica: o reajuste da tarifa de ônibus no município. Percebi na hora que o clima de celebração pela minha vitória tinha passado e que aquilo era um balde de água fria.

Entrevista com o ambientalista Reinaldo Romero. Tá com calor? Plante árvores!


Assista e concorra a duas cestas agroflorestais produzidas no assentamento Mário Lago do MST!


Oposição com lutas e Servidores Independentes denunciam retrocessos na Secretaria de Educação de Nogueira!




PSDB nomeia militar para cargo comissionado na Secretaria Municipal da Educação de Ribeirão Preto.

100 mil no Largo da Batata: "Não queremos Temer e nem outro Temer. Só o voto interessa!"

Foto: Brasil de Fato

Ontem em São Paulo, no Largo da Batata, num show coletivo que reuniu dezenas de artistas, cerca de 100 mil pessoas gritaram Fora, Temer e Diretas, já!

Enquanto o meio político que que apossou do poder por meio de um golpe contra uma Presidente honesta busca fórmulas para postergar a inevitável saída do poder após as revelações que mostraram a podridão dos líderes do golpe, Aécio e Temer, o movimento por Diretas buscar se encorpar e se colocar como única saída viável para a crise que se abateu sobre o Brasil.

sábado, 3 de junho de 2017

Temer vai cair nos próximos dias e o Brasil vai ter exigir eleições diretas!!


A prisão do ex-deputado Rocha Loures e o possível grampo ligando a mala de 500 mil reais ao atual Presidente coloca Temer e seu governo na marca do pênalti.

A queda é questão de dias, pois Temer não terá condições de resistir no cargo e enfrentar um inevitável processo de impeachment.

A questão mais delicada hoje não é se Temer cai ou não cai, mas o que o Brasil fará após a sua queda.

O desgoverno Temer/PSDB foi o que resultou do processo golpista que cassou 54 milhões de votos e feriu a democracia. Um conluio fisiológico unindo o traidor com o derrotado. Hoje, o traidor e o derrotado estão na lona, junto com o país.

Do fatídico e complexo golpe, apenas a ponta político-fisiológica está cambaleante. O restante do conluio, principalmente o lado que defende os interesses do grande capital, tenta se manter forte e operante independente do apodrecimento e queda de Temer.

A mídia e o grande representante do capital no governo, Henrique Meirelles, já deram o tom: manter a agenda de reformas independente do desfecho político.

As reformas trabalhista e previdenciária são o complemento da PEC do congelamento de gastos por 20 anos, que busca transformar o Brasil em uma máquina pagadora de juros ao custo da aniquilação dos instrumentos de fomento, seguridade/proteção social e planejamento do Estado brasileiro.

O processo de reconstrução da democracia brasileira passará pelas decisões do pós-Temer.

A solução de um Presidente indireto que insista na pauta das reformas sem maior debate na sociedade vai apenas agravar o problema atual.

É parte da tarefa da unidade popular e democrática exigir que o debate político nacional só seja retomado após um novo governo ser legitimado no voto.

Para isso, um governo de transição é necessário. Um governo transitório que prepare o país para o processo eleitoral.

Se vivêssemos em plena democracia, esse governo de transição deveria ser conduzido pela Presidenta Dilma que, golpeada por um impeachment sem provas, deveria ter seu mandato devolvido.

Mas como nossa democracia ainda tem de ser reconstruída, essa opção é remota. Resta, portanto, uma solução racional, fruto de um acordo político amplo, que devolva o país à normalidade democrática.

Temer caindo, o Brasil tem de gritar Diretas, já!

Ricardo Jimenez