terça-feira, 16 de maio de 2017

Calouros do Curso de Direito da USP/Ribeirão conhecem o MST/Ribeirão Preto

Neusa Paviatto conversa com os calouros do curso de Direito da USP/Ribeirão.
Foto: Filipe Peres
Por Luciano Filho

No último dia 14, calouros do Curso de Direito da USP conheceram o acampamento do MST, em Ribeirão Preto, Paulo Botelho e o Assentamento Mario Lago.


No assentamento, os estudantes participaram de uma reunião do Grupo de Cestas Agroflorestais, onde foi-lhes apresentado o histórico do assentamento Mario Lago. Após a apresentação, debateu-se com as famílias assentadas o direito ao acesso às instituições jurídicas do poder público. Neste viés, elencou-se assuntos como: a criminalização do MST, o descaso das instituições com a Reforma Agrária, a produção agroecológica no SAF como a superação da degradação ambiental, a relação com o INCRA, com a prefeitura e seus respectivos descasos. Outros assuntos sobre como funciona a educação, a saúde e a economia familiar também entraram na pauta.

No final da visita, alunos foram recepcionados com um café.
Foto: Filipe Peres
Após a reunião, os calouros visitaram o lote do Sr. José Noberto (Zezão) e da Sra. Jesuíta Corre (Jê), onde abordou-se todo o processo jurídico para a conquista do assentamento, passando para uma caminhada no lote com a intenção de entender a produção no SAF. A visita foi importante para mostrar a realidade da família assentada, suas dificuldades e expectativas.

Já no início da noite, os estudantes do Curso de Direito visitaram o acampamento Paulo Botelho. Lá, eles foram recebidos com um café da tarde, encerrando a visita, encerrando o dia.

Mais Fotos:

Calouros durante a visita do  lote de agrofloresta.
Foto: Luciano Filho

Grupo de cestas agroflorestais durante reunião com os estudantes.
Foto: Luciano Filho

Estudantes durante reunião com o grupo de cestas agroflorestais.
Foto: Luciano Filho.



Um comentário: