quinta-feira, 18 de maio de 2017

Não é

Foto: Filipe Peres

1964

Esta restauração
este objeto.
Aquelas cores pareciam tão opacas.


Restaurada em cores vivas de morte
representada em seus filhos e filhas
em seus subalternos e subalternas de sempre
em suas cores vivas de morte
a nova velha ordem voltou.

Não, meu caro, minha cara
não somos farinha do mesmo saco.

2016

1

A lama que desce tem a mesma textura
a mesma cor.
Pouco a pouco
como uma grande mancha
uma grande mentira
alama todos os estados.

Não. Não é a mesma coisa.
Não é igual. Esta lama
que desce
que se espalha pela folha
que tem a mesma textura.

2

Caminho ladeira abaixo
e vejo o meu pertence - imaterial -.
Ele se perde em golpes e lances.

Estudo a história
e tudo me parece igual. Não é.
Quem viveu sente mais a degradação.
Imperiais me espreitam.
Apesar da euforia, tenho medo.

3

Sei que não adianta fugir
deixar o parlamento às pressas
se esconder em discursos de negação.
Não irei chorar
e nem fingir que não é comigo
que não nos diz respeito.

Sem deus
caminho em meio a um ódio seletivo de sombras.
Não sei fingir que não é comigo.

Lutar é a única opção mas,
apesar da euforia,
tenho medo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário