domingo, 14 de maio de 2017

Mídia, judiciário e Lava Jato agem sincronizadas para atacar Lula e preservar Temer e Tucanos!


Quando o juiz Fachin liberou as 'delações' do casal de marqueteiros, enviou o habeas corpus de Palocci para o pleno do STF e o juiz de Brasília resolveu fechar o Instituto Lula, bingo: o relógio do judiciário continua sincronizado com a agenda do golpe!


O bom desempenho de Lula em Curitiba e a clara ausência de provas na acusação ao ex-Presidente fez disparar na mídia o bombardeio contra Lula, Dilma e o PT.

Menos de 24 horas após a vitória de Lula sobre Moro e a mídia e seus tentáculos já partiram para cima com a truculência costumeira, buscando reavivar o clima anti-PT que recentemente estava em pleno vapor.

O inimigo é Lula e derrotá-lo é o objetivo do golpe.

Na ausência de provas, na incapacidade de arrancar provas contra Lula nas 'delações' da masmorra paranaense, apela-se de novo para o argumento do power point: Lula era o chefe e é impossível que ele não soubesse. Provas não são necessárias, ele já está condenado na mídia, em Curitiba e, talvez, até no STF.

Essa guerra infame indica um futuro obscuro no caminho da democracia brasileira.

Enquanto isso, Temer, com 92% de rejeição, se mantém na Presidência, nenhum de seus ministros denunciados foi afastado, nenhum tucano denunciado com suas contas no exterior foi, até agora, incomodado. Tenta-se criar um clima político anti-Lula para arrefecer a oposição popular contra as reformas que ameaçam os direitos básicos do trabalhador brasileiro.

O regime de exceção vai tentando crescer e se consolidar, junto com a adoção de uma pauta pró-mercado e de destruição dos instrumentos de Estado para o desenvolvimento.

É grave a atual situação da democracia brasileira e das perspectivas da luta popular.

A reação democrática existe, mas ainda não é do tamanho suficiente.

Blog O Calçadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário