quarta-feira, 1 de março de 2017

Verbas para Trabalho Técnico Social de 22 empreendimentos em Ribeirão estão paradas na Caixa

Caixa Econômica Federal faz encontro sobre Trabalho Técnico Social

No dia 21 de fevereiro a Caixa Econômica Federal realizou uma reunião com o objetivo de orientar sobre os procedimentos relacionados ao Trabalho Técnico Social exigido nos contratos habitacionais, de Saneamento e Infraestrutura,  firmados entre as Prefeituras Municipais/ Entidades proponentes e a CAIXA, normatizado pela Portaria  n° 21/2014 do Ministério das Cidades.

O encontro foi nas dependência da sede administrativa da Caixa em Ribeirão Preto e contou com a presença dos responsáveis pelo setor na regional: Romeu, Glácia, Lívia, Jeferson, Paula, Diego e Gabi. No público do encontro estavam os agentes de prefeituras da região além de três pessoas da sociedade civil.

Segundo os representantes da Caixa, a região conta com 51 empreendimentos do Minha Casa Minha Vida ligado ao Fundo de Arrendamento Residencial FAR.

A portaria 21 regulamenta o Trabalho Técnico Social que tem uma proposta de interação com as famílias de empoderamento. É um desafio porque não há uma receita pronta, cada projeto tem uma realidade particular no desenvolvimento do Técnico Social.

O Técnico Social é um conjunto de estratégias, propostas e ações a partir de diagnósticos integrados e participativos dos territórios e da população beneficiada nas dimensões: social, econômica, produtiva, ambiental, política e das características da intervenção.

O objetivo do técnico social é promover a participação e inserção social, contribuindo para melhorar a qualidade de vida e dar sustentabilidade aos bens, equipamentos e serviços implantados.

Para realizar este trabalho é destinado 1.5% do valor do projeto na modalidade Entidades. É um instrumento de planejamento pois está em cada etapa do projeto, na proposta preliminar, na pré-obra, no diagnóstico e seleção da demanda, durante a obra e no pós-obra.

Os eixos principais são: A mobilização, organização e fortalecimento social, o acompanhamento e gestão da obra, a educação ambiental e patrimonial e o desenvolvimento social, econômico, geração de emprego e renda.

Segundo a CEF em nossa região existem 41 projetos cujos valores do Técnico Social ainda estão em aberto. Somente em Ribeirão Preto existem 22 empreendimentos com algum valor para serem investidos em Trabalho Técnico Social e que não foram solicitados pela administração. Foi estipulado um prazo até 21 de março para que as administrações apresentam um cronograma de ações, prazo e metas para utilizar estes recursos.


A segunda parte do encontro teve a finalidade de troca de experiências onde foi discutido a interferência do Técnico Social em situações diversas nas comunidades. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário