terça-feira, 14 de março de 2017

MST realiza Curso de Agrofloresta Sintrópica, em Ribeirão Preto



Fotos: Filipe Peres

Em combate à monocultura, ao agronegócio, foi realizado pelo Assentamento Mário Lago, do MST, aconteceu entre os dias 10 e 12 de março o “2º Curso de Agrofloresta Sintrópica”, em Ribeirão Preto. Por 3 dias seguidos, 60 inscritos do Espírito Santo, Roraima, Rio de Janeiro, Ceará, Brasília, Minas Gerais,  além de assentados de todo o Estado de São Paulo, sempre em consonância com o conceito de agrofloresta, trabalharam o projeto de preservação e restauração da reserva legal .

Sempre mesclando parte prática e embasamento teórico, assentados e pessoas de fora do MST aprenderam as técnicas de plantio, preservação e comercialização.
A suíça Christine fala sobre comercialização do produto.
O blogue acompanhou o terceiro dia de curso. Neste dia estava havendo o manejo da área, que consiste, basicamente na poda do eucalipto de da banana: “Essa poda é muito importante para gente no sistema agroflorestal porque é a nossa fonte de matéria orgânica para cobrir o solo. Essa matéria orgânica, em contato com o solo vai se decompor e vai virar adubo para as outras plantas que têm aqui”, afirmou a geógrafa e uma das ministrantes do curso, Olívia. 

Sendo o foco de comercialização do Assentamento Mário Lago na área de reserva, vale ressaltar que, além da banana e do eucalipto, o MST, naquela área cultiva diversas frutas. Entretanto, o eucalipto e a banana, além de cobrir o solo fornecem a sombra e a interação das raízes: “São muitos os benefícios da banana”, conclui Olívia.



“É um tipo de agricultura que vai salvar o planeta. O único tipo de cultura que vai salvar o planeta”, encerra Zaqueu, um dos ministrantes e organizadores do curso.


Mais fotos do curso:





































































































Nenhum comentário:

Postar um comentário