domingo, 26 de março de 2017

Alerta: Na reintegração de posse da Leão & Leão, a prefeitura não pode passar o trator em tudo!



Fotos: Filipe Peres


Moradores da Favela da Leão e Leão estão apreensivos com a reintegração de posse pacífica que ocorrerá, amanhã.

Com medo da violência policial, em Ribeirão Preto, na Favela da Leão & Leão, os moradores já desmontam as suas casas. Ocorrerá, amanhã, a saída pacífica de parte da comunidade da favela, pois estes sabem que, após o dia 27, a qualquer momento poderá ocorrer a reintegração forçada. Entretanto, as pessoas que não precisam desocupar as suas casas possuem outro tipo de preocupação, não veiculado pelos meios de comunicação: elas não sabem se a estrutura dos seus imóveis será atingida. As 251 pessoas que sairão estão, em grande parte, na área da senhora Leda Bertoline. 

É importante ressaltar que não precisam sair as pessoas da Quadra 2 e as que estão na área da prefeitura.

Estrutura dos Imóveis que não serão derrubados

Uma preocupação dos moradores que ficarão, que possuem a sua escritura, está relacionada com a estrutura de suas casas. D. Elza não sabe se a sua casa terá a sua estrutura atingida: “Eu não sou líder comunitária. A minha briga é a seguinte: eles tiram o pessoal, abalam a estrutura da minha casa e, nesse caso, quando é que eu vou receber a minha indenização?” 
Da esquerda para a direita: Marcos Valério, D. Elza e José Humberto.


Para o líder comunitário José Humberto de Oliviera, a solução para o problema do desfavelamento em Ribeirão Preto é urbanizar todas as favelas: “Existe solução para a favela, sim. Eles não querem resolver o problema de desfavelamento, em Ribeirão Preto. Urbaniza-se! Ah!, mas nem toda área de favela é pública, é área particular. Senta, negocia. Grande parte dessas áreas invadidas são de latifundiários, são proprietários que não pagam IPTU. Não se cogitou urbanizar o Jardim Progresso, que nunca saiu do papel? Parque Avelino, Jardim Zara, Valentina Figueireda. Para com isso! Os políticos não querem acabar com as favelas, em Ribeirão Preto”. 

Entulhos

O problema irá além da desocupação em si. É costume ficarem os entulhos nos locais desocupados, pois esta prática dificulta novas ocupações. Com isso, o aparecimento de ratos, cobras e outros animais pestilentos se tornam uma constante. Isso sem falar nos focos de dengue. Em época de campanhas escolares da prefeitura contra a dengue, largar entulho para proteger proprietários de áreas privadas, não limpar ou não cobrar a sua limpeza, expondo toda uma população às pestes, à dengue é, no mínimo, um contrassenso. 
Possível foco de dengue


No caso da favela da Leão & Leão, o lixo das casas desocupadas já aparece, inclusive focos de dengue. Quem fará a limpeza? A proprietária, a prefeitura? As pessoas que vivem no local, que não sofrerão reintegração de posse têm o direito à saúde, à segurança. Elas nada têm a ver com todo o processo. Esperamos que a solução para este problema venha juntamente com a reintegração.




Mais fotos:

Entulho acumulado em lote na Favela da Leão & Leão


Apenas as áreas amarelas devem ser desocupadas

Marcos Valério

D. Elza

Jose Humberto Oliveira

Moradores já estão desmontando as suas casas 






















Um comentário:

  1. Foi a indefinição da novela da ampliação do aeroporto que gerou cerca de 20 favelas no entorno do aeroporto. Pois os grandes proprietários não acreditam na propaganda oficial de desenvolvimento do entorno e deixam suas áreas inertes o que atraí as ocupações.

    ResponderExcluir