domingo, 29 de maio de 2016

Movimentos por Moradia saem às ruas em Ribeirão Preto, Fora Temer!

Fotos Filipe Peres

Neste domingo cerca de 300 pessoas representando os movimentos de moradia e os coletivos anti golpe, como a Frente Brasil Popular Macro Ribeirão, saíram às ruas em defesa da democracia, pela continuidade do Minha Casa Minha Vida e contra o golpe.

Os gritos de 'Nenhum Direitos a Menos' e 'Fora Temer' dominaram a  marcha.


O ato de hoje inaugura uma jornada de lutas em Ribeirão Preto contra o golpe e contra o governo golpista e ilegítimo de Temer.

Os movimentos sociais, que já denunciavam o golpe desde o início, partem para o enfrentamento contra um governo que busca implantar um brutal retrocesso em direitos trabalhistas e sociais e de desmonte do Estado nacional brasileiro.


Os próximos dois sábados, dias 4 e 11 de junho, às 9h da manhã, ocorrerão manifestações pelo Fora Temer no centro da cidade, com concentração na Esplanada do Pedro II.


Blog O Calçadão na luta contra o golpe e em defesa do Brasil e da democracia!










Pode um interino desmontar o Brasil? Perguntas que o STF ou responde agora ou o fará à História!

Já afirmei isto em artigo recente que nem mesmo nos piores Estados totalitários, como a Alemanha nazista, a procura pelas instâncias da Justiça deixou de ser feita.

Menos por esperança de que houvesse o enfrentamento ao arbítrio por parte de magistrados e mais por necessidade de registrar na História a tentativa legítima de buscar guarida na instituição Justiça.

Assim deve-se fazer com o STF hoje, quando o Brasil é submetido a um golpe midiático-jurídico-parlamentar que impõe ao país uma figura tosca como Michel Temer.

O STF precisa responder a algumas perguntas. Ou faz isso agora ou o fará para a História, cobrado por vergonhosa omissão.

1- Pode um Presidente Interino desmontar o governo cujo titular ainda não foi definitivamente afastado?
Essa é uma questão essencial. O interino não só está desmontando toda a estrutura de Estado montada pela titular como está realizando perseguições públicas a simpatizantes da titular ou do modelo de governo que a titular montou.
Estruturas de Estado fundamentais em questão de cultura, direitos humanos, ciência e tecnologia, inclusão social, investimentos produtivos foram suprimidos. Empresas estatais e o próprio pré-sal é colocado na berlinda.
A posição do país em nível internacional, através de sua Chancelaria, é brutalmente alterada.
A insegurança jurídica impera hoje em todos os setores. Cidadãos aprovados em concursos estão ameaçados de terem seus termos de posse anulados a qualquer momento. Um diretor-presidente da EBC, com mandato autônomo definido em lei, foi defenestrado sem que o interino prestasse qualquer esclarecimento à Justiça.

2- Como ficarão as questões sobre os grampos ilegais realizados pelo juiz Moro e divulgados para uma emissora de televisão sem autorização do STF, grampos que inclusive gravaram a Chefe de Estado?
O STF precisa esclarecer se aquilo foi legal ou não.

3- E a condução coercitiva de Lula sem intimação prévia (prática repetida com frequência pela operação Lava Jato)? O que de fato ocorreu naquele aeroporto, Lula seria conduzido a Curitiba ou não?
Esse é um mistério que a República tem o direito de conhecer, pois o que pareceu foi uma tentativa de Curitiba de prender Lula abortada por algo misterioso que ocorreu no meio do caminho.

4- Como fica a questão da nomeação de Lula para o Ministério?
A alegação dada é a de que o ex-Presidente pretendia fugir da primeira instância através do foro privilegiado. Mas o governo do interino tem 7 nesta circunstância e nada é feito. Outra coisa, no mérito, Lula podia ou não assumir o cargo?

5- Por que o Ministro Teori demorou 4 meses para decidir sobre o afastamento de Cunha? Como fica a situação dele agora, vai permanecer somente licenciado ou vai perder de fato o mandato?
Outra questão importante é a da legitimidade de Cunha para conduzir o impeachment. Se o próprio STF decidiu que ele deve ser afastado, como é que ele poderia ter conduzido o processo? e porque esta decisão não foi tomada antes da votação na Câmara?

6- Como fica a questão do julgamento de mérito do argumento do impeachment, as 'pedaladas fiscais'?
Se pedalada fiscal for crime de responsabilidade, o Temer deve também perder o cargo, pois também pedalou. Se pedalada fiscal não é crime de responsabilidade, então não há argumento e Dilma deve ser imediatamente reconduzida ao cargo. Essa é a decisão mais importante que o STF deve decidir. Quando será?

7- Por que os áudios gravados por Sérgio machado, em posse do STF desde março, não foram tornados públicos já que ali estão indícios fortíssimos de interferência política não só na operação Lava Jato mas no próprio processo golpista que acabou afastando a Presidente?
Essa é uma questão seríssima que beira o crime de lesa-pátria. Figuras graúdas do PMDB articulando a queda de uma Presidente eleita e o STF se omite de informar isto ao Brasil antes da votação do impeachment. Sonegação de informação em questões prementes do Estado e da vida da República é crime grave.

Essas e outras perguntas estão na pauta do STF.

Um governo ilegítimo se montou sobre uma farsa, um processo de impeachment sem provas, e se sustenta numa mentira, num governo sem voto que tenta impor ao país uma agenda sistematicamente derrotada nas urnas.

Aguardamos as respostas da nossa Corte Suprema, agora ou no decorrer da História.

Ricardo Jimenez

Encontro entre Gilmar e o interino na noite de sábado mostra apreensão no QG do golpe!


Não é preciso explicar muito sobre a figura de Gilmar Mendes. Escolhido para o STF pelo ex-Presidente e atual golpista FHC, Gilmar é "uma vergonha para o Judiciário brasileiro", nas palavras do ex Joaquim Barbosa.

Soltou o banqueiro Daniel Dantas, o médico estuprador, que fugiu para o Paraguai, foi flagrado ao celular com o candidato Serra em 2010 em plena campanha presidencial e é hoje um dos principais pilares de sustentação do golpe.

Recentemente foi fotografado em almoço com o atual Ministro das Relações Exteriores José Serra na semana em que impediu a posse de Lula no Ministério de Dilma.



Gilmar é hoje o Presidente do TSE, que tem o poder de julgar as contas eleitorais da chapa Dilma-Temer, e o relator da segunda turma para julgar os inquéritos da Lava Jato.

O encontro entre o interino e Gilmar na noite de sábado no Jaburu, residência oficial do conspirador, é não só algo sórdido e escandaloso do ponto de vista moral mas também intrigante.

Na opinião deste blog esse encontro denota apreensão no QG golpista e pode ter relação com certos áudios ainda não divulgados e que podem atingir em cheio o já cambaleante governo ilegítimo que se formou após o golpe dado em Dilma por um conluio de corruptos.

Aguardemos os próximos capítulos.

Ricardo Jimenez


Bar Hierofante



 Fotos: Filipe Augusto Peres









sábado, 28 de maio de 2016

CRONICAS À FLOR DA PELE: A BLITZ E A LINGUAGEM! Por Marcelo Domingos




O blog O Calçadão republica artigo de Marcelo Domingos!


Inspirado em alguns acontecimentos recentes, e depois de uma orientação, decidi dar algum tempo do pouco tempo que tenho para escrever algumas crônicas. Tentarei ser sucinto e objetivo.

Nesta primeira é necessário um aparte por ser a primeira, portanto gostaria de enfatizar que Solano Trindade foi muito inteligente no seu poema ‘FDP’. 

Outra coisa também é sobre o que Fanon escreve em Peles Negras Máscaras Brancas, poupo dos pormenores da língua do colonizador, tanto que até agora estou aqui pensando se isso é um conto ou uma crônica, decidi chamar de crônica. 

Não pretendo me perder num dialeto, tentando reivindicar algo que, por alguns privilégios ou falta deles, não faz mais parte de mim. Evitarei estereótipos. A intenção é tentar passar uma mensagem da forma que consigo e que alguém a entenda.

Bem, o acontecido foi uma parada policial com a intenção da  averiguação da idoneidade de um cidadão de bem que transita durante a madrugada na pacata Ribeirão Preto. Já passava muito das zero horas e eu voltava da casa da garota que namoro, no meio do caminho blitz. 

Pra quem dirige, ainda mais moto, isso não é novidade. Ora ou outra nos deparamos num beco sem saída, numas ruas contorcidas que mesmo que quiséssemos, não daríamos conta de voltar atrás. 

Mas esta foi diferente, houve um fato que não aconteceu nas outras duzentas, entre blitzes, revistas por estar andando na rua de boas, ou invasão a domicilio. E aproveito para dar umas dicas importantes pois por mais idealista que se possa ser, ser estratégico é crucial; não olhe nos olhos por muito tempo; o ‘senhô’ é esperado para o enquadramento num estereotipo, não o faça ou tente não o fazer; não demonstre nervosismo, por mais difícil que se possa ser; ore em pensamentos por seus orixás. 

Na blitz o policial, através de uma análise fenotípica, instaurando um processo inconsciente, ou não, dentro de um universo relacional estruturou-se enquanto policial numa abordagem especifica e primeiro deu aquele olhar de eu to ligado, você tá ligado, e nós estamos ligados e eu sei que você sabe que eu sei. Depois, de alguns segundos de troca de olhar e aquele clima de pré-tiroteio num faroeste, como nos filmes ele falou “documêntu. donde cê é? tá inu pra ôndi? tem passagi? tem passagi? tem passagi não?”. Leia novamente e tente falar o que ele falou fazendo bico com a voz de uma possessão demoníaca meio soprando sem a rouquidão, foi desse jeito. 

Na hora vieram dois pensamentos, primeiro uma audiência recentemente passada onde a emoção, como sempre, se fez presente e varias pessoas deram a um PM manda-chuva dessas bandas de cá, alguns adjetivos. Só de pensar que depois de uma conversa soldado com a moça que falava da central pelo rádio, eu talvez não pudesse estar crônicando, e que muitos, mas muitos, uma série de diversos casos "isolados" e "suspeitos" acontecem e muitos iguais a mim não tem a chance que tenho, já faz a cabeça da gente girar, não é não? O segundo pensamento é que a placa da moto estava zuada. 

Pois bem, averiguado os documentos, antes mesmo de eu os guardar, outra moto, um cidadão de bem, outra análise fenotípica e este é o fato novo numa blitz. Enquanto guardava minhas coisas, com a frieza de, naquela situação ter a sacada, me dediquei ao estudo do modo, da postura, da tonalidade da voz, do manejo, da sutileza, daquele primeiro momento que me foi permitido analisar, pois já havia dado minha hora de vazar dali. De inicio foram proferidas para o outro motociclista as seguintes palavras: - Poderia verificar os documentos do veículo? 

Silêncio. 

Dei aquela tensionada na testa, girada rápida com a cabeça, o olhar fixo, quase que falei pro policia: Qualé a tua cara? Contundência. Revolta.

Certo que blitz , enquadramento, falta de mandato acontece sempre por aqui, isso já foi meio que naturalizado, por mais que não se queira, porém ver na prática o já citado Fanon e deparar com a institucionalidade dos fatos dando inspiração para protestar como fez Carlos de Assumpção, não tem preço.


Marcelo Domingos é amigo do blog O Calçadão e escreve em seu blog De Todos os Santos (www.detodosossantos.blogspot.com.br)

A Dona da voz está de volta! Por Mestre Rilton


Chegou às lojas no último dia 29 o aguardado álbum da carioca Marisa Monte. Não se trata de um cd de inéditas, mas sim de um projeto com músicas que estavam espalhadas em diversos projetos desde o início dos anos 90. 

Marisa explica que havia no contrato com a Universal Music uma cláusula que incluía um "best of" de sua carreira assim que chegasse ao fim o acordo com a multinacional. Segundo Marisa, esse acordo de lançamento de um best of não lhe agradava muito, foi aí que ela propôs que o invés de serem lançados os maiores sucessos de sua obra, fosse lançado um álbum somente com músicas que foram criadas ou gravadas para outros projetos, como é o caso de Nú com minha música, canção composta por Caetano Veloso no início dos anos 80 e regravada por Marisa para o álbum Red Hot + Rio na cidade de Los Angeles em dueto com Rodrigo Amarante em 2011. Outro grande encontro que podemos conferir na "coleção" de Marisa é a que aconteceu com a dana dos pés descalços, Cesária Évora, cantora de Cabo Verde, falecida em 2012. 

Cesária e Marisa gravaram é ''doce morrer no mar ", de Caymmi. Marisa conta que já havia participado de um projeto junto com Cesária em 1996. Entitulado de Atlântico, esse projeto reunia apenas cantores de língua portuguesa. A sintonia entre as duas foi tamanha que logo em seguida Cesária convidou Marisa para produzir e gravar uma música para o seu novo álbum, Marisa selecionou várias canções que tinham o mar como tema e Cesária escolheu a de Caymmi. Uma outra grata surpresa que o baú de Marisa traz é a música "Cama" , obra feita a seis mãos, Arnaldo Antunes, Carlinhos Browne Marisa para Era uma vez, do cineasta Breno Silveira, em 1998. Desde o início de sua carreira, em 1989, Marisa Monte sempre foi avessa a aparecer em programas de TV e a dar entrevistas. Nascida em uma família de classe Média alta carioca estudou canto lírico no Rio e na Itália, de onde voltou decidida a se dedicar a música popular e abandonar a erudita, ao menos profissionalmente. Monte sempre conduziu sua carreira com a mão de ferro não deixando a batuta para seus músicos ou produtores. O mesmo pode-se dizer com relação aos contratos que assinou, Marisa sempre foi reconhecida no meio musicial por fazer apenas o que quis, não cedendo à pressões de gravadoras ou do mercado. Na semana passada foram divulgadas imagens e vídeos da cantora visitando uma escola carioca ocupada por estudantes que lutam pela melhoria do sistema educacional. Marisa cantou alguns de seus sucessos para os alunos e disse estar preocupada e ao mesmo tempo esperançosa com o momento atual brasileiro. Disse também que o sistema político atual não representa ninguém além dos próprios políticos. Segundo Marisa não existe amor na macro política, apenas na micropolítica. Marisa não fará turnê desse álbum que não considera um álbum de carreira e sim de entressafra. No entanto, o tempo mais livre lhe permitirá compor mais e com certeza uma Marisa mais engajada política e socialmente poderá ser encontrada em novos trabalhos.

Mestre Rilton é professor e editor cultural do blog O Calçadão

O CALÇADÃO NA MARCHA DA MACONHA

Caifazes: a primeira chapa de mulheres negras a disputar um Centro Acadêmico!


Em meio ao duro retrocesso imposto pelo governo golpista do vice interino, que intenciona desmantelar mais ainda o Direito Público, pela primeira vez na história, alunas da Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense se reúnem e criam uma chapa para concorrer à gestão do Centro Acadêmico Evaristo da Veiga – CAEV, da Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Formada por 11 estudantes, a Chapa 1 Caifazes – Pelo Direito de Resistir, homenageia um dos maiores movimentos abolicionistas que já existiu no Brasil, que surgiu sob a liderança do jurista negro: Luiz Gama. É também a primeira vez que uma chapa é formada apenas por mulheres e com a maioria (8) de negras.

Contra o patriarcado e contra o racismo, pelo empoderamento feminista e das mulheres negras.

E a Faculdade de Direito da UFF-Niterói já se anima ao debate: enquanto mulheres, que em maioria somos negras, temos a nitidez de que o epistemicídio negro, LGBT e feminino é presente, assim como nossa história e nossas produções acadêmicas são apagadas e descredibilizadas. Além da falta de representatividade, não há pesquisas na área e nem há disciplinas obrigatórias que proponham reflexões que são urgentes. 

"A Chapa é uma iniciatica espontânea das mulheres que se organizam nos coletivos feministas e negros", explica Mariana Ayodeli, componente da Caifazes. "É também através do Centro Acadêmico que podemos pautar modificações reais na faculdade, não só se preocupando com o espaço físico, mas também nos preocupando com as opiniões e anseios dos estudantes", completa.

A participação da Caifazes nos debates já chamou a tenção dos professores. Já há propostas de docentes dentro da Faculdade de Direito da UFF-Niterói para criar campos de estudos disciplinares que versem sobre a diversidade, principalmente a temática feminina e negra.

O grupo mantém uma página no facebook: Caifazes, pelo Direito de Resistir

Blog: O Calçadão

A Dinamarca Shakespeariana em solo brasileiro! Por Roberto Barros


A obra Hamlet, de William Shakespeare, escrita no fim do século XVI e início do XVII retrata um panorama extremamente atual e que não se distancia em nada de nosso cenário político. Assim como na obra ‘ficcional’ de Shakespeare, o curso da “loucura” real ou fingida de nosso sistema político, ilustra vários fenômenos evidentes como: Vingança, traição, corrupção. 
Os desencadeamentos que ocorreram desde a farsa da votação do impeachment na câmara, no dia 17/04, e no Senado, semanas depois; foram de uma avalanche de evidências e provas que vieram à público e confirmaram o que já estava evidente: a natureza do golpe. O maior escritor inglês de todos os tempos, nessa obra, profere a seguinte frase: “Há algo de podre no reino da Dinamarca, mas não sabíamos que a Dinamarca era tão grande”. 
Assim como em Hamlet, as instituições brasileiras tem-se mostrado, cada vez mais, podres. O que se desencadeou durante essas poucas semanas após o afastamento da presidenta Dilma foi um enredo que deixaria Shakespeare invejado com tanta vingança, traição e corrupção que fomos e estamos imersos. 
O pedido de impedimento da presidente foi oriundo de um único sentimento: vingança. Ocorre que, como Claudio, irmão de Hamlet, Cunha, o mafioso; ferido por não ter recebido as furnas da mão de Dilma resolve afastá-la do poder. Claudio assassina o próprio pai. Cunha, diferentemente, lança mão da peça do impeachment. De lá para cá, o que se revelou foi um verdadeiro circo de horror. Dilma foi traída pelo seu Vice, Temer, que com a sana de usurpar o poder e livrar-se do esquema e suspeita das investigações da Lava-Jato resolve engendrar um esquema que envolveria todas as instituições de nossa república. 
Como Dilma não estava travando essas investigações e as mesmas levariam a revelar o maior escândalo de corrupção já visto em solo brasileiro (que levaria a queda de todos os envolvidos no esquema), após a Privataria Tucana de FHC, Temer e asseclas resolvem afastar a presidenta da República democraticamente eleita para que; com isso esse sistema podre continuasse a vigorar. 
Temos, nessa peça trágica, vários protagonistas do golpe, mas poderíamos dizer que o ex-ministro de planejamento Romero Jucá (PMDB-RR) e o presidente do Senado (Renan Calheiros, PMDB - AL) deu o golpe de minerva e revelou a suja articulação desse governo ilegítimo do Temer. Nos áudios vazados de ambos, fica evidente um plano de afastar a Dilma para que o sistema de corrupção estrutural continuasse a operar. 
Esse pedido de impeachment seria, portanto, com um claro objetivo - O de salvar as castas políticas da elite corrupta. Em todos os áudios vazados, o STF encontra-se envolvido, o que deixa essa peça mais trágica, ainda. Como julgar quem julga?? O STF, portanto, teria um papel crucial no golpe, o de dar um “ar” de legalidade a um pedido de impedimento que se mostrou completamente ilegal. 
Mas a Dinamarca Shakespeariana é aqui, no Brasil, e a trama se aprofunda ao vermos que Gilmar Mendes, principal protagonista do STF no golpe, resolve blindar todos, repito, TODOS os parlamentares envolvidos no golpe (como Aécio, Anastasia, Aloysio Antunes, Temer, Cunha, Renan Calheiros, família Marinho e CiA) e execrar TODOS parlamentares e civis ligados ou simpáticos a legenda que está sofrendo o golpe, a saber: PT. 
Nesse reino de Shakespeare, obviamente, o PT também está envolvido nos escândalos de corrupção, mas a presidenta afastada, não! Ela, como Hamlet, começou a dar força as investigações Lava-Jato, ela não cedeu às chantagens, ela encarou honestamente e fortemente o peso de toda a corrupção institucional que, agora, se vira contra ela para afastá-la do cargo e; com isso salvar os que sempre assaltaram o país. Dilma passa a ser afastada não pelos erros dela, pois errar não significa cometer crime; mas pelo acerto dela não ter se curvado às chantagens de mafiosos. 
Por esse desvio de finalidade do impeachment mostra a natureza golpista da mesma. Pelo fato desse pedido de impeachment ter conflito de interesse, mostra o Golpe. Pelo fato de terem articulado com todas as instituições (STF, Senado, Câmara, Exército, Mídia) o impedimento da pessoa que estava ajudando a combater a corrupção estrutural, mostra a natureza golpista. 
Na obra de Shakespeare o pai de Hamlet aparece como um fantasma para dizer quem foi seu algoz, em nossa história política o fantasma é o tempo e este tem mostrado recorrentemente quem são os algozes da Dilma. Um STF que legaliza o golpe, uma mídia que espetaculariza inversamente, transformando réus em vítimas e vítimas em réus; um parlamento que rompe com qualquer possibilidade de defesa, por isso rompendo com a democracia e uma presidenta que, inocente, sofre o castigo por não se dobrar aos conchavos e acordatas da criminalidade. Golpe sujo, imundo, machista. Golpe que revela a contemporaneidade de Shakespeare, mas que diferente de uma obra ficcional, este enredo que é traçado no Brasil fede a enxofre.
Os dois últimos áudios são reveladores e preocupantes. Mostra um STF submisso e comprado, mostra uma repressão militarizada em alerta e mostra o que ocorre (interrupção de alguma forma) com quem quer, de alguma forma, combater a corrupção do país e promover uma igualdade social. Escrevo esse texto, não como um apoio da política da Dilma (o qual tenho sérias críticas), mas como um apoio à pessoa Dilma (por ter visto o nível de assédio moral que ela sofreu e vem sofrendo) e à democracia (por me indignar a essa estrutura podre que existe nesse país desde sua colonização até sua “redemocratização”).
Roberto Barros é Doutor em Ciências pela USP e Coordenador Setorial LGBT e de Negros e Negras do PSOL de Ribeirão Preto

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Jânio de Freitas: Temer/Meirelles apontam uma arma na cabeça da Saúde e Educação!

Jânio escreve em seu artigo na Folha,

(...)

… Michel Temer comparou-se de raspão a Juscelino. Mas quem Temer faz lembrar é Collor com a combinação de loucuras e violência que aplicou como plano econômico. Não é inovadora, portanto, a complacência quase envergonhada com que a imprensa se faz colaboradora de Temer, como preço –autêntica liquidação de outono –de não ter o PT no governo nem o risco de Lula em 2018. Depois, lava-se a história, com ou sem jato. Mas o malabarismo praticado por muitos comentaristas oferece um lado cômico nessa história de salvar o salvador perdido. 

Do cômico ao trágico: o corte proposto contra a educação é também contra os jovens de hoje e as próximas gerações de estudantes; o corte proposto contra a saúde é também contra as gestantes, as crianças e todos os carentes. Ambos são agressões ao espírito da Constituição e suas intenções de reparação social da nossa história de injustiças e perversidades. 

A educação tem hoje, por garantia constitucional, ao menos 18% do arrecadado com impostos. A saúde tem garantia semelhante, em menor percentual. O plano Meirelles retira da educação e da saúde essa garantia de um mínimo que leve a ampliar e estender a educação, como se deu nas últimas décadas, e atenuar os problemas persistentes na saúde pública. Os valores ficarão congelados, com futuros acréscimos correspondentes apenas à fictícia correção pela inflação. Note-se que o ponto de partida, nesse congelamento, é o percentual deste ano de baixa arrecadação. Logo, educação e saúde já começam com perda substanciosa. 

Contas certinhas (no diminutivo, sim, porque serão cada vez menores), que beleza. Para um futuro condenado sobre um presente caótico.

Se há algo certo como resultado do plano Temer/Meirelles esse algo é: mortes (dos mais pobres).
O Calçadão

Ribeirão Fora Temer e em defesa da moradia popular!! É neste domingo! Venha!

Neste domingo, 29 de maio, às 9h da manhã, grande marcha pelo fora Temer e em defesa da moradia popular em Ribeirão Preto.

A concentração se dará na rotatória amim Calil a partir das 9h da manhã.

O ato está sendo chamado pelos movimentos de moradia de Ribeirão Preto contra os brutais cortes no programa Minha Casa Minha Vida, principalmente para a população mais pobre, feita pelo governo golpista de Temer.

A questão da moradia é o problema social mais grave de ribeirão Preto. São mais de 50 núcleos de favelas na cidade e uma população de cerca de 35 mil pessoas morando de maneira precária na cidade.

O programa Minha Casa Minha Vida era a única forma de acesso à moradia que dispunha esta população mais pobre e fragilizada.

As forças progressistas de Ribeirão Preto se somarão a este ato e estarão junto na marcha. Estarão lá estudantes, mulheres, sindicatos, coletivos anti golpe e todos aqueles que se somam na luta contra o governo golpista.

Convidamos a todos os ribeirão-pretanos que não aceitam este governo golpista e corrupto de Temer a se somarem no ato. Venham conosco marchar contra Temer e contra o golpe.

Outros atos virão. É momento de unidade contra o golpe!

Nenhum direito a menos, por um Brasil mais justo e inclusivo.

Blog O Calçadão

Golpistas querem acelerar o impeachment pois há cheiro de virada no ar!


"O erro dela foi ter deixado essa coisa (a Lava Jato) andar" - Sérgio Machado em conversa gravada com Renan Calheiros.

Essa é a frase que resume muita coisa a respeito do golpe que foi promovido contra Dilma: ela não negociou com bandidos e, mesmo sendo uma das maiores vítimas da parceria lava Jato/mídia, não mexeu uma palha para interferir nas investigações que ameaçavam explodir no colo do PMDB e do PSDB.

E é exatamente o sentimento de que esta percepção está aos poucos ganhando força na população que acendeu o sinal vermelho no golpismo.

Ontem o relator do processo no Senado, o tucano e preposto de Aécio em Minas, Senador Antônio Anastasia, afirmou que pretende terminar o relatório por volta de 2 de agosto para ser levado a plenário, 3 meses antes do prazo máximo de 180 dias.

O golpismo quer acelerar o golpe porque sente cheiro de virada no ar!

A Globo se apressou em apoiar a decisão.

O golpismo é uma cobra de duas cabeças que se equilibra sobre a figura tosca de Michel Temer, o vice conspirador.

A primeira cabeça é a da plutocracia, que representa os interesses do 'mercado' e do imperialismo. Para essa cabeça interessa reintroduzir no Brasil a agenda neoliberal que garanta o lucro do rentismo. Reforma da Previdência, terceirização trabalhista, privatização da educação e da saúde, cortes nos investimentos públicos, corte em programas sociais, entrega do pré-sal e preservação da camada mais rica fazem parte da agenda dessa ponta do golpismo.

Nesta cabeça se encaixam a mídia e sua parceria com a República de Curitiba, através da Lava Jato. São os braços operacionais do golpismo no trabalho de desestabilização do governo trabalhista iniciado em 2003.

Esse trabalho foi vitorioso até agora. A engenharia que construía a infraestrutura do país está destruída, a Petrobrás está exposta e acuada, o BNDES está sendo desmontado, a narrativa falsa 'anti-corrupção' fez o serviço de criar o 'efeito manada' e se conseguiu colocar no lugar do governo trabalhista a nata do fisiologismo político, comandada por dois reis do baixo clero, Cunha e Temer.

E cumpre-se, assim, mais uma profecia, a mesma que ocorreu na Itália com a Operação Mãos Limpas, a de colocar no governo um sindicato de corruptos capaz de realizar o serviço sujo de todo o esquema.

E em 11 dias os golpistas brasileiros já mostraram ao que vieram. O povo brasileiro já perdeu direitos que jogam o Brasil num retrocesso de décadas.

Mas aos poucos essa trama toda vai se tornando clara aos olhos da população, porque o banditismo que se estabeleceu no governo é muito grande e muito escroto. Temer e sua turma são bizarros, toscos demais (basta ver seus apoiadores Frota, Revoltados Online, Malafaia, Feliciano e et caterva).

A sombra de Dilma paira sobre essa gente e acelerar o impeachment é fundamental.

Cabe a Dilma sinalizar rapidamente ao país, através de um amplo diálogo com todas as forças progressistas, que sua volta ao poder vai restabelecer um governo que olhará para o povo e não para o mercado e cabe a todos nós irmos à luta agora para derrubar o governo golpista o mais rápido possível.

Ricardo Jimenez

quarta-feira, 25 de maio de 2016

É preciso devolver o poder a Dilma, derrubada por um "bando de gangsters"!


São estarrecedores e demolidores os áudios que abrem à luz do Sol as entranhas de um golpe sórdido aplicado contra o mandato legítimo da Presidente Dilma Roussef!

O Brasil precisa exigir que o "bando de gangsters", nas palavras da imprensa internacional, devolva o poder à única pessoa com legitimidade e dignidade de sentar na cadeira da Presidência da República.

Já era espantoso constatar que o processo de impeachment era comandado por Eduardo Cunha e seus 200 deputados comprados. Era espantoso constatar que Cunha tentou negociar um acordo com Dilma e foi rechaçado e, por vingança, aceitou o pedido de impeachment encomendado pelo PSDB a dois de seus filiados por 45 mil reais.

Já era espantoso perceber a omissão do STF em se pronunciar sobre o mérito de um processo de impeachment sem crime de responsabilidade. Já era espantoso constatar a incrível demora de Teori Zavascki em decidir sobre o pedido de afastamento de Cunha, só fazendo após a votação na Câmara.

Já era espantoso ver a seletividade e a cumplicidade entre a Lava Jato e a Globo, com a dupla Moro e Janot agindo em conjunto para manter a crise sempre acesa contra o PT e aliviando para os opositores, como o PSDB.

Já era espantoso perceber um governo interino, em menos de uma semana, realizar o desmonte do Estado nacional, com retrocessos inaceitáveis em direitos humanos, cultura, saúde, educação e programas sociais de inclusão e combate à fome, além de realinhar o país no neoliberalismo e apontar medidas que privilegiam os mais ricos.

Mas agora, após os áudios, tudo se torna estarrecedor, pois tudo isso vai se materializando numa trama premeditada contra a Presidente Dilma por ela endurecer o jogo com os "gangsters".

Endureceu em Furnas ao cortar ao cortar os esquemas de Cunha e Aécio.

Endureceu com o Judiciário ao negar o pornográfico aumento de 78% ( o próprio Presidente do Supremo, o Lewandowisk, foi lá tentar passar o pires com ela). E agora se sabe que Janot já sabia desses áudios desde antes da votação do impeachment e nada fez (ao contrário de quando agiu rápido contra a nomeação de Lula).

Endureceu com o fisiologismo político ao confirmar posição de proibição de doações empresariais de campanha, vetando a lei que havia sido aprovada pela turma do Cunha no Congresso.

Endureceu com os corruptos ao se recusar a agir contra a Lava Jato, mesmo sendo ela o grande alvo dos vazamentos seletivos da República de Curitiba para a imprensa cúmplice (e agora surge a história de um provável acordo entre Curitiba e Temer ( o tal promotor Delagnol, que se coloca como representante divino contra a corrupção teve uma conversa reservada com emissário de Temer na véspera da votação do impeachment).

A frase de Renan, no áudio, traz uma grande verdade: "ela tem uma bravura pessoal que é uma coisa inacreditável".

Dilma não foi uma boa Presidente, e isso já foi dito aqui várias vezes, errou muito principalmente neste segundo mandato, ao tentar dialogar com os representantes do mercado ao invés de dialogar com o povo que a elegeu. a nomeação de Joaquim Levy foi trágica.

Mas Dilma é uma mulher digna, honesta, lutadora e legitimamente eleita!

É inadmissível que esta mulher continue a ser injustiçada como está!

Devolvam o poder a Dilma, já!

Só resta uma coisa para salvar a imagem do STF: anulem este processo de impeachment e recoloquem Dilma Roussef ao lugar que lhe é de direito!

Agora é momento de irmos às ruas contra este golpe sórdido na democracia!

Ricardo Jimenez

Projeto Música Criança no Pico do Mirante!



Associação de Moradores do Complexo do Mirante anuncia início do projeto Música Criança!

Associação de Moradores do Complexo do Mirante
· 
Projeto Musica Criança - parceria da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP com o Departamento de Música da FFCLRP-USP, Secretaria da Saúde do Município e Associação de Moradores do Complexo do Mirante.

Inicio: dia 30/05 no Pico do Mirante, Portal do Alto, zona Oeste de Ribeirão Preto.

Inicialmente para crianças de 6 à 12 anos.

Flauta - segundas - feiras das 9:30 às 11:00 / das 14:00 às 15:30
Coral - segundas - feiras das 10:30 às 11:30 / das 13:00 às 14:30
Violão - sextas - feiras das 10 às 11:30 / das 13:00 às 14:30


Essa faixa etária será estendida aos adolescentes em um futuro próximo, assim como a ampliação de novos horários e outros instrumentos musicais.


As inscrições estão abertas. 

Falar com Maria Sílvia 3019-1813 ou na Av Ivo Pareschi 1741.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Cadê o Moro? Leão contra o Lula, gatinho com os golpistas!

Ele foi um leão com o Lula, contra o PT. Ele foi o herói dos coxinhas, o homem que ia 'limpar o Brasil da corrupção'. Até o governo golpista assumir. Aí Moro sumiu.

Por que será?

Tem uma explicação, a Globo!

Moro foi e é parceiro da Globo na trama toda.

Usar o canhão da mídia monopolizada para desestabilizar um governo sob o manto hipócrita do combate à corrupção.

A Globo é hoje o maior ancoradouro de sustentação de Temer e seu governo que tem a tarefa de desmontar o Estado nacional, os direitos sociais ao mesmo tempo que garante à emissora dos Marinho as polpudas verbas federais de propaganda.

Por isso Moro anda quietinho e hoje, num evento da Veja, se reservou a dar uma declaração protocolar de que "não vou me intrometer na política".

O 'leão' que não se furtou a vazar todos os áudios das conversas de Lula para o Jornal Nacional no dia da posse de Lula, envolvendo inclusive a Chefe da Nação, virou um gatinho manso à espera das próximas ordens.

Tudo em nome do combate à corrupção.

Ricardo Jimenez

Escândalo!! Governo golpista entrega o pré sal e rouba 2 bilhões do Fundo Soberano!


Do Brasil 247

Um dia depois de perder seu ministro do Planejamento, que revelou a conspiração por trás do afastamento da presidente Dilma Rousseff, o presidente interino Michel Temer anunciou uma série de medidas para conter os gastos públicos e tentar equilibrar as contas do governo; entre elas estão a extinção do Fundo Soberano, criado há oito anos e com caixa de R$ 2 bilhões; "É uma coisa paralisada [recursos do fundo soberano]. Vamos trazer esses R$ 2 bilhões para cobrir o endividamento do país", disse Temer; ao anunciar seu apoio à abertura do pré-sal, ele afirmou que sofrerá críticas e disse estar pronto para ser presidente, porque já foi secretário de Segurança Pública de São Paulo, onde soube "lidar com bandidos".

Em pronunciamento à imprensa nesta terça-feira, 24, o presidente interino Michel Temer anunciou medidas para conter os gastos públicos e tentar equilibrar as contas do governo. 
Entre as medidas anunciadas estão a extinção do Fundo Soberano, criado em 2008 com a sobra do superávit primário que existia naquele momento e com roalties do petróleo. "É uma coisa paralisada [recursos do fundo soberano]. Vamos talvez extinguir o fundo soberano e trazer esses R$ 2 bilhões para cobrir o endividamento do país", disse Temer.
O presidente interino também anunciou que irá agilizar a abertura da exploração do pré-sal para empresas estrangeiras. "Vamos apoiar esse projeto sem nos incomodar com críticas que virão", disse Temer. O presidente interino também se comparou com o ex-presidente Juscelino Kubitschek, ao dizer que não tem compromisso com o erro, e que pode voltar atrás em decisões.
R$ 100 bilhões do BNDES
Outra proposta anunciada pelo presidente em exercício foi o pedido de devolução, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes), de pelo menos R$ 100 bilhões em recursos repassados pelo Tesouro Nacional nos últimos anos que, no total, somam mais de R$ 500 bilhões. Segundo Temer, a ideia é que sejam devolvidos ao Tesouro Nacional R$ 40 bilhões neste momento, e o restante no futuro.
Teto de gastos públicos
Outra medida anunciada pelo presidente em exercício, Michel Temer, é a proposta de adoção de um teto para os gastos públicos, proposta semelhante à que foi feita pela equipe econômica da presidente afastada Dilma Rousseff no que ficou conhecida como "reforma fiscal".
"Estamos propondo limite [do crescimento do gasto público] equivalente à inflação do ano anterior. Isso tudo parece ser a melhor forma de conciliar meta para o crescimento da despesa primaria e permitir que o Congresso continue com liberdade absoluta para definir a composição do crescimento do gasto publico", completou.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Governo golpista apodreceu e tem que ser derrubado!


Governo golpista está podre e é preciso derrubá-lo agora!

Como já era esperado, o governo golpista eleito indiretamente pelo colégio eleitoral controlado pelo Eduardo Cunha, através de um golpe subsidiado pela mídia, apodreceu!

Dizem que há outros diálogos gravados pelo tal Sérgio Machado com Renan e Sarney ainda mais graves do que o que foi publicado com Jucá.

O vice conspirador não pode botar a cara na rua. Seus Ministros são chamados de golpistas em todos os lugares, vide o 'Chanceler' entreguista e sua chegada na Argentina.

A hora é agora!

É momento de rua, de mobilização para derrubar este governo ilegítimo já!

É o momento da unidade de todas as forças progressistas da sociedade contra o retrocesso imposto por esse governo interino e golpista!

A farsa do golpe veio à tona, os coxinhas foram desmascarados, a própria Globo já prepara o abandono do barco de Temer para pular no barco de novas eleições.

Se empurrar o Temer cai. Que caia!

Ricardo Jimenez

Misturando cinismo e analfabetismo político, coxinhas desaparecem após o golpe!

Na foto, um coxinha "anti-corrupção" típico. Com uma camiseta escrito 'Fora Dilma' (a Presidente honesta que não cometeu crime) ele tira uma selfie com José Agripino Maia, do DEM-RN, dono de extensa ficha corrida no quesito corrupção.

Assim foi todo esse movimento coxinha, uma mistura de cinismo com analfabetismo político puro, alimentado com horas e horas de leitura da Veja e notícias do Jornal Nacional.

Estão todos sumidos num silêncio ensurdecedor após a consumação do golpe que elevou Michel Temer e a ala do PMDB fisiológico e corrupto ao poder central do país, afastando sem provas uma Presidente honesta e que, de fato, atuou para combater a corrupção.

O coxinha midiota, analfabeto político, é um tipo até perdoável. Talvez a vergonha por ter sido feito de trouxa lhes abram um caminho novo de entendimento político. Imperdoável é o tipo do coxinha aliado do golpe.

Esse é canalha, cínico!

O coxinha aliado do golpe não é trouxinha, como o outro, o analfabeto político. O coxinha aliado do golpe é parceiro da Globo, vibra com as manipulações e mentiras da Veja (desde que atinjam o PT). O coxinha aliado do golpe é parceiro do Eduardo Cunha desde o primeiro momento.

O coxinha aliado do golpe é anti-petista, jamais anti-corrupção. Até porque é da classe média para cima, grupos que mais se beneficiam da corrupção, da sonegação fiscal e da quebra de direitos para as classes mais baixas.

Esse coxinha aliado do golpe recolheu suas camisetas da CBF assim que Temer assumiu a Presidência. É esse coxinha que tenta lançar o argumento de que "Temer foi eleito com Dilma, então a culpa é da esquerda", já ouviu ou leu isso, não é?

Pois é. Cínicos!

Quem quer de fato combater a corrupção somos aqueles que vão às ruas exigir direitos, exigir que o governo não corte do orçamento as verbas para a educação, saúde, moradia e políticas de inclusão social. Quem quer combater a corrupção somos aqueles que vão às ruas contra a seletividade hipócrita da mídia, da Lava Jato e contra o golpe de se fazer um impeachment liderado por Eduardo Cunha contra uma Presidente honesta.

Coxinhas cínicos merecem apenas o nosso desprezo.

O governo Temer apodreceu em poucos dias, vamos fazê-lo cair de podre!

Em frente!

Ricardo Jimenez

Gravação de Jucá revela: garantia de combate à corrupção é com a Dilma!

Uma "mudança" no comando do Governo Federal pode resultar num pacto para "estancar a sangria" da Lava Jato. (Leia o diálogo aqui).

Esse é o tom da conversa que o atual Ministro do Planejamento do governo golpista Romero Jucá travou em março com o ex-Presidente da Transpetro Sérgio Machado. Antes, o próprio Serra, o político que nunca termina um mandato e só pensa em entregar o pré sal, já havia dito que com Temer "não haverá caça às bruxas".

Fica cada vez mais claro para a população brasileira que, além de ser um governo golpista que tem a tarefa de extinguir direitos trabalhistas, privatizar as estatais e cortar orçamento da educação e do SUS, este governo golpista veio para botar um freio no combate à corrupção.

O governo golpista de Temer é sustentado num acordo político baseado na corrupção pois tem como fiador no congresso o 'impoluto' Eduardo Cunha.

Garantia de combate à corrupção é com Dilma e o povo vai cada vez mais se aperceber disso. É com Dilma que a PF ganhou autonomia (até para conspirar contra o PT), foi com Dilma que uma legislação anti-corrupção foi criada. Foi Dilma que estancou o propinoduto na Petrobrás e em Furnas (para o desespero de Cunha e de Aécio). Foi Dilma que firmou posição pela proibição do financiamento empresarial de campanhas.

Além do mais, o atual Ministro da Justiça é tucano, ex-Secretário de Segurança de São Paulo. E o povo sabe como é que tucano trata a corrupção: não investiga nada!

Além do mais, há algumas perguntas a serem feitas a partir do diálogo do Jucá: o Moro vai mandar prendê-lo como fez com a Delcídio (por tentar impedir as investigações)? Com quem Jucá conversou no STF?

Este governo golpista e anti-popular vai apodrecendo rapidamente e o vice interino conspirador não pode botar a cara na rua. Só há uma estrutura que resta a lhe dar apoio incondicional, a Globo! Só a Globo, que foi a grande responsável pela subida de Temer ao poder, luta para que ele permaneça lá porque tem seus interesses próprios (as verbas federais de publicidade) e defende os interesses do imperialismo, como sempre.

Mas as ruas darão o recado: Temer jamais!

A única saída para o Brasil é o retorno para a normalidade democrática, com o retorno da Presidente Dilma, legitimamente eleita e contra a qual não há nenhum crime imputado.

Apenas com Dilma e com a democracia há garantia de combate à corrupção!

Ricardo Jimenez

Poeta Carlos de Assumpção, 89 anos!

Mesmo que voltem as costas
Às minhas palavras de fogo
Não pararei de gritar
Não pararei
Não pararei de gritar

Senhores
Eu fui enviado ao mundo
Para protestar
Mentiras europeias nada
Nada me fará calar

Senhores
Atrás do muro da noite
Sem que ninguém o perceba
Muitos dos meus ancestrais
Já mortos há muito tempo
Reúnem-se em minha casa

E nos pomos a conversar
Sobre coisas amargas
Sobre grilhões e correntes
Que no passado eram visíveis
Que no presente são invisíveis

Invisíveis mais existentes
Nos braços
No Pensamento
Nos passos
No sonho
Na vida
De cada um dos que vivem
Juntos comigo
Enjeitados da pátria...

Trecho de protesto- Carlos de Assumpção

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Reunião Diálogo e Ação Petista - Contra o golpe, Fora Temer!

Nesta sexta, 20 de maio, o coletivo Diálogo e Ação Petista realizou uma plenária anti golpe e fora Temer, analisando o cenário político atual e as ações e estratégias de combate ao golpe e em defesa da democracia e do mandato legítimo de Dilma Roussef.

Cerca de 40 pessoas estiveram presentes à reunião: sindicalistas, advogados, professores, jornalistas, lideranças do movimento de moradia, funcionários do HC, funcionários do Fórum, ativistas etc.

 A plenária definiu como prioridade o combate ao golpe imposto por Michel Temer, Eduardo Cunha, tucanos, Globo e forças do capitalismo financeiro nacional, como a FIESP, e internacional.

Foi definido que o coletivo irá procurar os demais comitês anti-golpe criados na cidade, assim como a Frente Brasil Popular Macro Ribeirão, para juntos realizar uma grande mobilização no próximo dia 29, domingo, data pré-agendada pelos movimentos de moradia para a realização de uma marcha anti golpe na cidade.



Também foi tirada a necessidade de outras ações de massa, com panfletagens e debates públicos, para dialogar com a população e disputar a opinião pública na direção do combate ao golpismo e da não aceitação de um governo Temer, ilegítimo e anti-popular.

Panfletagens e ações de massa também estão sendo planejadas para o HC, onde trabalham mais de 5 mil pessoas e por onde passam mais outras milhares todos os dias.

Amanhã todos estarão na Esplanada do Theatro Pedro II, às 10horas da manhã, engrossando o ato Fora Temer que lá se realizará.

O blog O Calçadão felicita os companheiros presentes na plenária do DAP e conclama à unidade de todos os coletivos anti-golpe e de todos aqueles que não aceitam o governo usurpador do vice conspirador e golpista eleito pelo colégio eleitoral de Eduardo Cunha.

Acima de tudo, o povo brasileiro não pode aceitar a retirada de direitos adquiridos com muita luta e o retrocesso nas políticas de inclusão social tão importantes para um país como o Brasil.

Só existe uma pessoa com legitimidade para ocupar a cadeira de Presidente da República e ela é a mulher Dilma Roussef. Vamos resistir e lutar com Dilma e pela democracia!

Ricardo Jimenez

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Vem aí o rolo compressor do golpismo: meta fiscal de 200 bilhões?


O governo golpista, através do seu cara do mercado, o Henrique Meirelles, prepara o rolo compressor contra o Estado nacional: uma meta fiscal de 200 bilhões!

Meta fiscal é a economia que o governo faz para buscar, através de superávits primários, manter estável a relação dívida/PIB. Além disso, a meta fiscal e a relação da dívida são instrumentos fundamentais de controle que o 'mercado' exerce sobre os Estados nacionais.

Forçar os países a cumprirem as metas fiscais garante ao capitalismo financeiro a liquidez necessária para manter o sistema que, a qualquer sinal de ameaça de interrupção do fluxo de capital, entra em crise.

Acontece que em momentos de crise, de recessão e refluxo, uma meta fiscal elevada é um veneno que pode matar o doente. Meta fiscal se faz com cortes orçamentários, o que afeta o planejamento econômico e as políticas sociais, colocando o próprio Estado sob risco.

Um corte de 200 bilhões de reais nessa altura do campeonato significa um impacto estrondoso no Estado brasileiro. Estou falando em cortes cavalares no orçamento, envolvendo saúde, educação, programas sociais, investimentos na indústria, na agricultura e por aí vai.

O déficit público é um instrumento de alavancagem econômica em momentos de crise, mas no Brasil do golpe e da Globonews vira um escândalo.

Economias orçamentárias e realização de superávits primários para diminuir a dívida se faz em momentos de expansão da economia, pois não impactarão na vida das pessoas. Mas em momentos de recessão, como agora, o planejamento macroeconômico pede políticas anticíclicas, de gastos orçamentários para manter o Estado funcionando e, principalmente, proteger o emprego e a vida da população mais pobre, mesmo que isso impacte na dívida.

Mas não é assim que pensa o 'mercado'. O 'mercado' quer sangue e vai sugá-lo de uma vez. Meta fiscal de 200 bilhões, se confirmada, será uma tragédia.

Esse é o serviço sujo do golpismo. Aplicar a política econômica que está sendo derrotada nas urnas desde 2003. E é importante dizer que virá pelas mãos de Meirelles, o queridinho do 'mercado', do PSDB, dos golpistas e do Lula.

 Devido a uma narrativa mentirosa, Meirelles pousa de bonzão enquanto que Manteiga pousa de vilão, apesar de que foi com o segundo que o Brasil atingiu uma taxa de desemprego de 4%, com políticas anti-cíclicas.

O Brasil gasta 4,7% do PIB com pagamento das dívidas (o que dá 45% do orçamento!) mas o 'mercado' quer mais.

Em 2014 e 2015, para manter os investimentos e os programas sociais, Dilma reduziu a meta de 90 bi para 8 bi, gerando, claro, o aumento da dívida pública e o rebaixamento da nota das agências de risco. Essa postura de Dilma, dentre outras, foi uma das fontes de irritação do 'mercado', parceiro no golpe.

Por que manter o investimento público e programas sociais? Bobagem. Melhor é economizar para pagar juros! Assim é a narrativa dos 'pró-mercado'.

200 bi de meta fiscal será o fim de qualquer investimento, o fim dos programas sociais, da expansão do ensino público e da manutenção do SUS.

E vêm por aí a reforma da previdência (inclusive com mudanças de regras retroativas, tirando direitos adquiridos!) e a reforma trabalhista, flexibilizando direitos e introduzindo a terceirização para atividades fins.

Meirelles disse em entrevista que " o povo brasileiro está preparado para apoiar medidas duras que resolvam a crise".

É para perguntar: o povo sabe que seu 'sacrifício', imposto por um governo golpista que rasgou 54 milhões de votos, será para garantir que banqueiros e rentistas continuem a sugar o seu país? O povo sabe a quem de verdade serve o senhor Meirelles?

Ricardo Jimenez

Ipiranga com a São João - 19/05/2016


quarta-feira, 18 de maio de 2016

O que é racismo? Por Seimour Souza



Racismo não é você (apenas) me chamar de macaco, ou tentar me ofender por meus traços físicos 🌸
Racismo é eu não ter um professor negro.
Racismo é a maioria esmagadora dos terceirizados da faculdade onde eu estudo serem negros.
Racismo é eu ter 5X mais chances de morrer do que o meu amigo branco.
Racismo é o seu discurso meritocrático.
Racismo é o Brasil ter a a 4ª maior população carcerária do mundo, que em sua maioria é Negra.
Racismo é o Brasil ter a MAIOR população NEGRA fora da África e mesmo assim, ainda não termos negros ocupando espaços de poder dentro da sociedade.
Racismo é o Brasil ser o país que mais mata a sua juventude(NEGRA).
Racismo é o assassinato de mulheres negras ter aumentando exponencialmente nos últimos anos, enquanto de mulheres brancas diminui.
Racismo é quase 80% dos moradores das favelas do Brasil serem negros.
Racismo é esse sistema ainda estar de pé, continuando a matar preto e pobre TODOS OS DIAS, e mesmo assim vocês ainda preferem questionar a posição que a Beyonce ocupa, a questionar o sistema.

Seimour Souza é estudante de Ciências Políticas da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro